A placa de vídeo é um dos componentes mais importantes em um PC ou notebook, principalmente para gamers e profissionais do audiovisual. A peça é responsável pela qualidade das imagens e dos gráficos gerados pelo computador, e costuma ser um dos mais caros na hora de montar uma máquina.

Marcas como NVIDIA e AMD têm diversos modelos diferentes com tecnologias importantes para melhorar o desempenho gráfico na hora de jogar ou trabalhar com edição de vídeos. Para te ajudar a comprar a placa de vídeo ideal, o Buscapé criou um guia que ensina como escolher marca e modelo ideais para cada tipo de uso. Confira a seguir.

Leia também: Melhor placa de vídeo barata: 7 modelos de bom custo-benefício

A placa de vídeo é um dos componentes mais importantes de um PC (Nana Dua/Pexels) 

Confira as nossas apostas para a Black Friday e veja os melhores produtos para comprar com desconto!

Confira a resolução e frequência máxima do monitor

Antes de comprar uma placa de vídeo é preciso verificar se o seu monitor tem as configurações compatíveis com a peça. Por isso, será necessário saber a resolução e a frequência da tela que pretende usar.

Caso você tenha um monitor que alcança apenas a resolução Full HD (1920 x 1080 pixels), nada adiantará comprar uma GPU para rodar em jogos em 4K, já que não é possível enxergar mudanças nas imagens. Contudo, é possível investir em placas de vídeo mais potentes para alcançar taxas de quadros por segundo (FPS) maiores nos games.

É aí que entra a frequência do monitor. Ela é responsável pela quantidade de frames exibida na tela. Ou seja, se você pretende jogar a 60 fps, um monitor de 60Hz é o suficiente. Agora, caso queira enxergar imagens ainda mais fluidas e rápidas, é preciso ter um monitor de 144Hz, 240Hz ou até 360Hz.

Outro fator a considerar é se o monitor e a placa têm as conexões compatíveis, como Display Port, HDMI ou VGA. Caso exista uma divergência, é possível usar adaptadores, mas não são todos que aceitam esse recurso.

Quer saber mais sobre placas de vídeo? Veja outros artigos aqui no Buscapé!

A placa de vídeo precisa ser compatível com o monitor (Gorodenkoff/Shutterstock)

Estabeleça um orçamento

Como dissemos anteriormente, a GPU é um dos componentes mais caros na hora de montar um PC. Uma dica para não pagar tão caro em uma GPU é verificar qual oferecerá o melhor custo-benefício. Placas para rodar jogos em 4K claramente serão mais caras do que modelos mais simples para um PC que rode jogos mais leves ou até mesmo para edição de vídeos e fotos.

Caso o seu orçamento seja mais apertado, algumas placas de gerações anteriores podem suprir a sua necessidade, não sendo necessário comprar uma de última geração e pagar mais caro por isso. Se estiver com um valor maior separado, vale investir em placas mais recentes, com novas tecnologias e melhores atualizações.

Leia também com a gente: Melhor placa de vídeo 4GB: 5 opções para comprar em 2021

NVIDIA ou AMD: qual escolher?

Apesar de existirem diversas marcas que fabricam placas no mercado, como Asus, Gigabyte e EVGA, os chips gráficos são produzidos apenas por duas empresas: AMD e NVIDIA. As empresas oferecem tecnologias parecidas, como o Ray Tracing nas GPUs de última geração, que ajuda a criar imagens iluminação mais realista. As maiores diferenças ficam por conta de recursos exclusivos de cada uma e preços.

Como diferenciais, a NVIDIA disponibiliza, além do Ray Tracing nas placas RTX, a tecnologia de DLSS, uma inteligência artificial que melhora a qualidade dos gráficos e o desempenho ao mesmo tempo. Além disso, os donos de placas da série GTX 600 ou mas recentes contam com o NVENC, um componente que transfere parte da carga de trabalho do processador para a GPU, ideal para quem faz livestreams.

Já as placas da AMD contam com o recurso de Image Sherpening, que melhora a nitidez da imagem, e a arquitetura RDNA, que diminui o consumo de energia da GPU sem prejudicar o desempenho. Nas placas mais recentes da série RX 6000 a fabricante estreou a RDNA 2, que também está presente nos chips gráficos do Playstation 5 e Xbox Series.

Outro ponto que precisa ser considerado na hora de escolher a fabricante é a tecnologia de sincronização da imagem com a tela do monitor. Se o seu display tem suporte somente ao G-Sync, prefira placas da NVIDIA. Caso o painel tenha Free Sync, busque por uma placa da AMD. Vale lembrar que os recursos são prioritários de cada marca, contudo a NVIDIA tem adaptado alguns modelos de placas para funcionarem em monitores com Free Sync.

A Nvidia e a AMD atualmente são as melhores opções do mercado (Syafiq Adnan/Shutterstock)

Qual placa de vídeo comprar?

Agora que você já sabe escolher marca e separar o orçamento, vamos recomendar as melhores placas para todos os tipos de uso. Logo abaixo você confere sugestões de GPUs para games leves, para jogar e editar vídeos em Full HD e para rodar e trabalhar em resolução 4K.

Para jogos leves

As placas de vídeo para jogos leves costumam ser mais simples e têm configuração mais modesta. Os equipamentos de entrada são melhores que as placas de vídeo integradas aos processadores, e podem ser a melhor opção para games como Fortnite, League of Legends e Valorant com taxa de frames e resoluções mais altas. Também é possível arriscar em títulos mais recentes com configurações gráficas no médio/baixo.

Confira abaixo algumas opções:

Para jogar em Full HD e editar vídeos

Caso você queira reproduzir jogos em Full HD ou até mesmo trabalhar com edição de vídeo, as mais indicadas são as GPUs intermediárias. Elas oferecem boas especificações e são voltadas para um público não muito exigente, mas que quer ter taxas de quadros altas em jogos mais atuais, como Assassin's Creed Valhalla, The Witcher 3, Doom Eternal, entre outros.

Confira abaixo algumas opções:

Para jogar em 4K

Os usuários mais exigentes e que contam com um orçamento maior podem buscar por placas de vídeo topo de linha para jogos, edição de vídeos e renderização 3D, tudo isso em resolução 4K. Além do desempenho, essas placas também contam com recursos como Ray Tracing e DLSS.

A GeForce RTX 3070 é uma das melhores alternativas para jogar em 4K!

Com informações de Tom’s Hardware, NewsEgg e Tech Radar

Leia também: