Ative o Buscapé te Protege GRÁTIS. Suas compras protegidas em até R$ 5mil pelo Buscapé te Protege.

Smartphone Sony Xperia C5 Ultra E5563
Ícone de Favorito

8/10 (Baseado em 29 avaliações)

Produto Indisponível

Avise-me quando chegar
Informações Básicas
TipoSmartphone
MarcaSony
LinhaXperia
ModeloC5 Ultra E5563
ChipsDual Chip
CoresBranco, Menta Suave, Preto
Câmera
Câmera Traseira13.0 Megapixels
Funções da CâmeraDetector de Rosto, Detector de Sorriso, Filma em 4K, Flash, Foco Automático, HDR, Panorama, Posição Geográfica
Câmera Frontal13.0 Megapixels Frontal
Tela
Tamanho da Tela6.0 polegadas
Tipo de TelaIPS FHD
Resolução1920 x 1080 Pixels
Hardware
ProcessadorMediaTek MT6752
NúcleosOcta-Core (8 Núcleos)
Velocidade do Processador1.7 GHz
Memória Interna16 GB
EntradasFone de Ouvido, USB 2.0
Software
Sistema OperacionalAndroid
VersãoLollipop
Características e Conectividade
Internet4G, Wi-Fi
RecursosBluetooth 4.1, MP3 Player, NFC, Rádio, Wi-Fi Direct
Bateria
Bateria2930 mAh
Autonomia em Stand-by728 Horas
Autonomia em Conversação14 Horas
Dimensões
Largura79,6 mm
Altura164,2 mm
Profundidade8,2 mm
Peso187 g
Por Colaborador em 27/10/2015
Xperia C5 tem tela de 6 polegadas e ótima câmera frontal, mas esquenta muito

A tela de 6 polegada, sem bordas, e a câmera frontal de 13 MP com flash frontal são as sensações do aparelho

Prós
  • Tela bem aproveitada

  • Câmera frontal de 13 MP

  • Bateria com boa autonomia

Contras
  • Celular esquenta bastante

Sucessor natural do Xperia C4, com poucos ajustes, o C5 é maior, com uma tela maior, traz câmeras interessantes, de 13 MP ambas e uma boa autonomia de bateria. Entretanto, usando o mesmo chip MediaTek não poderia dar outro resultado: o celular esquenta, ultrapassando os 42°C, exatamente como C4. Mas qual deles vale mais a pena? O C5 é apenas uma tela grande e uma boa câmera frontal? Nossas impressões estão nas próximas linhas

Design e Tela

Pouco foi alterado de uma geração para outra, mas o pouco que mudou foi para melhor. O C4 não era exatamente um exemplo em saída de som, principalmente porque possuía apenas uma na parte da frente. O C5 Ultra acolhe duas saídas, uma no limite da borda superior e outra na borda inferior, fazendo do som do C5 um ótimo celular para ver vídeos e músicas, mesmo sem os fones de ouvidos. Outra mudança positiva foi a tela, que agora ocupa toda a largura do display, sem bordas. Isso facilita a usabilidade do usuário, já que a tela de 6 polegadas é bastante grande para mexer com apenas uma mão. Levá-lo nos bolsos também é uma tarefa nada confortável, já que ele possui 16 cm de comprimento e 7,9 de largura, pesando 187 gramas, mas poderia ser pior, caso sua espessura não fosse de 0,8 cm. Seguindo praticamente a mesma carcaça, o C5 apresenta, de um lado, o botão power, o controle de volume e o botão próprio para tirar fotos. Do outro lado estão os slots para os chips, que agora são dois (e não três, como no C4): um serve para colocar os dois chips nano e o outro o MicroSD de até 200 GB. E elas continuam tão apertadas quanto no C4. Colocar o chip é fácil, quem tirar merece até um prêmio. De resto, tudo muito familiar: a câmera frontal - agora de 13 MP - ao lado do flash LED e na parte de trás a outra câmera, também de 13 Megapixels. O C5 também é melhor acabado, já que até na parte de trás há proteção contra riscos e quedas e as laterais são feitas de metal. Segundo a Sony, a traseira é curva, mas eu, sinceramente, não senti diferença, a pegada é bastante parecida com de outros celulares tão grandes quanto. Como já falamos, a tela é de 6 polegadas, 0,5" maior que a do C4, entretanto, apresenta a mesma resolução Full HD para as imagens e 327 ppi. Seria impensável um celular desse porte com uma tela mediana, por isso o C5 oferece uma ótima experiência para ver filmes e assistir vídeos em alta resolução. O problema é que em ambientes abertos é um pouco difícil ver o conteúdo da tela.

Desempenho e Conectividade

Não é repetição, não. É que o processador do C5 Ultra é exatamente o mesmo do C4: o MediaTek MT6752, octa core de 1,7 GHz (64 bit) e 2 GB de RAM. E, é óbvio, o C5 apresentou os mesmos problemas que o C4. Em relação a rapidez não tem do que reclamar. Mesmo em jogos pesados, como Real Racing 3 ou UFC, o C5 não apresentou engasgos, os gráficos são bonitos e em nenhum momento o celular fechou inesperadamente os aplicativos. A transição de telas é bastante fluída e alternar entre os apps é confortável, com a ajudinha dos 2 GB de RAM. Só que ao fazer qualquer dessas tarefas, principalmente as mais exigentes, o celular chega a 45°C rapidamente. Tanto que tentei jogar por meia hora e, em questão de 8 minutos, ele estava numa temperatura elevada e não consegui finalizar o teste. Não chega a machucar, longe disso, mas isso danifica e diminui a vida útil do aparelho, algo inaceitável para um celular da categoria do C5 Ultra. Deixando o desempenho de lado, o C5 traz uma conectividade apurada, como bem deveria. Além dos básicos Wi-Fi, GPS, Bluetooth 4.1, USB 2.0, o aparelho é dual chip, sendo que um dos slots suporta 4G e também possui NFC, mas não possui TV, como o C4. Um detalhe que vale a menção é que a saída de som agora se localiza na parte da frente do aparelho, mas, infelizmente, ela não é tão potente quanto poderia.

Câmeras e Bateria

Novamente apostando no poder das câmeras frontais, a Sony equiparou a qualidade das fotos das duas câmeras do C5. Agora, tanto a frontal quanto a traseira, possuem 13 MP e as mesmas especificações. As duas câmeras usam o mesmo sensor, o Exmor RS, mas a câmera frontal usa uma lente angular de 22 mm ( a do C4 era de 25), que serve para caber mais pessoas nas fotos. Esse funciona muito bem, sem fazer muito esforço, é possível colocar 4 ou até 5 pessoas numa mesma foto. As duas câmeras possuem o recurso SteadyShot, que, segundo a Sony, serve para compensar trepidações. Ah! E as duas possuem HDR. Tudo isso faz com que tantos as selfies quanto as fotos da câmera traseira saiam com a mesma qualidade. Com as selfies é possível notar que não só o objeto central é nítido, como também o fundo da imagem. Não é notável qualquer ruído em ambientes iluminados, mas quando passamos para um ambiente mais escuro, a câmera se esforça muito para não apresentar ruídos e sem o flash é difícil, mas isso é comum para lentes em celulares intermediários. O software da câmera não mudou. Ainda há aqueles efeitos bizarros e engraçados, e aqueles mais úteis, como o Modo Manual e o Modo Múltiplas Câmeras, que tira fotos e filma com ambas lentes, dando mais ângulos de visão para seus cliques. Em suma as câmeras do C5 Ultra cumprem o que prometem. A frontal faz ótimas selfies, com boa resolução e a traseira continua bem parecida com a do C4, faz boas fotos, mas peca em ambientes escuros. A bateria é um dos pontos mais positivos do C5 Ultra. Ela é bem grande, 2930 mAh, por isso demora um pouco mais para carregar totalmente, cerca de umas três horas e meia, mas ela também demora bastante para descarregar. Por exemplo, durante nosso teste, realizamos diversas tarefas corriqueiras, entre elas, jogamos alguns jogos, realizamos ligações, vimos vídeos na internet, navegamos nas redes sociais, utilizamos o GPS, tiramos algumas fotos e alguns vídeos, tudo isso num período de 6 horas. Começando às 10 horas da manhã, o celular chegou às 16 horas com 42% de bateria, um resultado bastante significativo, mostrando que apesar da tela ter crescido, a bateria ainda continua equivalente ao display.

Conclusão
Um bom observador irá notar que as diferenças reais entre o C4 e o C5 Ultra são mínimas. A tela aumentou (6 polegadas) e o design do display também, a câmera frontal agora possui uma melhor resolução (passou de 5 para 13 Megapixels), o alto falante também passou para a parte da frente, o que foi muito inteligente, e a bateria também aumentou (mas a tela também, então 0 X 0). Mas, fora isso: o processador é o mesmo, tanto que esquenta bastante, assim como o do C4, a resolução da tela também e o C5 é completo em conectividade, exceto pelo recurso de TV da geração anterior. Na prática as mudanças foram pontuais, nos defeitos que o C4 apresentava. Claro que a tela aumentou e isso, para quem gosta, é bastante confortável. Se você possui um C4 e está querendo saber se vale a pena trocar pelo C5 Ultra, a resposta é: não é necessário. Entretanto, se você procura um novo celular e você gosta de telas grandes, com boa resolução, ótima câmera frontal e boa bateria, o C5 é uma opção a se considerar. Mas, cuidado, ele é esquentadinho.
Matérias Relacionadas
10/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
8/10 Recomendo este produto
8/10 Recomendo este produto
Avaliação Geral89%Recomendam a compra
8/10Baseado em 29 avaliações
Aspectos Positivos
  • Câmera
  • Display
  • Durabilidade
  • Design
  • Funções e Características
  • Facilidade de Uso
  • Duração da Bateria
Aspectos Negativos
  • Custo-Benefício
Enviar sua Avaliação