Diablo 4, Diablo 2: Resurrection e Diablo Immortal tiveram vários novos detalhes revelados durante o evento BlizzCon 2021 neste último final de semana. O evento foi todo realizado de maneira digital como BlizzConline devido à pandemia e contou com diversas informações novas e anúncios de games da Blizzard.

Leia também: Xbox Game Pass recebe novos jogos no catálogo em fevereiro

A Renegada (Rogue) é a mais nova classe revelada para Diablo 4 (Divulgação: Blizzard)

Os novos detalhes dos games foram divulgados durante uma sessão de perguntas e respostas com vários desenvolvedores, apresentada por Rod Fergusson, produtor executivo da franquia. Para responder perguntas de Diablo 4 estava presente o diretor Luis Barriga, acompanhado pelo game designer chefe de Diablo Imortal, Wyatt Cheng, e o designer principal de Diablo 2: Resurrected, Rob Gallerani.

Confira abaixo o que eles compartilharam sobre cada game.

Diablo 4

O novo capítulo na saga Diablo teve um trailer divulgado durante a BlizzCon 2021 com a revelação da nova classe Renegada (Rogue), além das três já reveladas anteriormente: Bárbaro, Feiticeira e Druida.

No universo de Diablo, Renegadas eram canonicamente mulheres, mas o diretor do game afirmou que as classes não terão bloqueio de gênero e a parte canônica será mantida ao apresentar outros personagens como originários de uma ordem diferente. Luis também confirmou que nem todas as classes terão missões de classe e que Anjos poderão aparecer na história de alguma forma.

Sobre o visual sombrio do game, foi mencionado que os desenvolvedores tentarão encontrar um equilíbrio para não dessensibilizar o jogador, pois se todo lugar for repleto de cadáveres e caveiras, seria possível perder o impacto. Haverá grandes áreas PVP, ou seja, jogador contra jogador. Não haverá mais necessidade do sistema de "pesca", no qual jogadores precisavam procurar por boas oportunidades em Rifts como se estivessem pescando.

Na jogabilidade, Luis disse que tentaram controlar um pouco o equilíbrio de dano, para evitar os multiplicadores exagerados. A transmogrificação deverá ter um grande papel no crescimento do personagem. Para jogadores que querem mais imersão, será possível desligar o destaque dos monstros nos quais se mira. Druidas não poderão ficar transformados por muito tempo fora de combate e nem utilizar seus cavalos enquanto estiverem transformados.

Nem todas as áreas em Diablo 4 serão extremamente sombrias, para manter o impacto visual do jogo (Divulgação: Blizzard)

Em multiplayer será possível jogar com até 4 pessoas em cooperativo local e se aventurar em grupo "será mais recompensador", segundo o diretor. O sistema de troca de itens será melhor que o de Diablo 3 e será possível utilizar um banco de itens do clã para trocas.

Diablo 4 está confirmado por enquanto para PlayStation 4, Xbox One e PC, ainda sem uma data de lançamento. Anteriormente a produtora já confirmou que não espera lançá-lo em 2021.

Diablo Immortal

O novo game da franquia Diablo para smartphones Android e iPhone/iPad será um MMO, sem temporadas como em Diablo 3, mas com constante atualização de conteúdo. A história se passará no período de 20 anos entre Diablo 2 e 3, com a possibilidade de revisitar momentos anteriores através dos livros na biblioteca de Zoltun Kulle.

Os testes já realizados, de acordo com o game designer eram para saber se a jogabilidade parecia "Diablo" o bastante e que o público aprovou. Ele comentou que terão muito conteúdo endgame, algo que ainda não estava presente além do nível 45, e que pretendem manter o jogo atualizado por muito tempo, inclusive com a adição de novas classes. Foram confirmados também eventos de grupo como PVP entre guildas, mas não foi revelado o limite de jogadores em raids.

Segundo Wyatt, o jogo segue sem data de lançamento e ainda está longe de estar pronto. Ele afirmou que ainda há mais testes pela frente do que os que já foram realizados. Foram mencionadas especificamente as classes Crusader e Necromancer, que terão suas próprias fases de teste e foram confirmadas que estarão presentes no lançamento do jogo.

Diablo Immortal ainda parece estar longe de ser lançado, mas haverá novas fases de testes com classes diferentes (Divulgação: Blizzard)

Diablo 2: Resurrected

O designer Rob Gallerani detalhou como funciona tecnicamente o remake do game e como ele mantém a sensação do jogo original. De acordo com ele, o código original de Diablo 2 ainda roda no game, mas agora controla os visuais em 3D, como se fossem marionetes. A versão usada para o remake é a 1.14, mais próxima do que jogadores devem lembrar. Foram mantidos vários detalhes, até mesmo alguns que poderiam parecer inconvenientes, como colisão entre jogadores.

As cenas cinematográficas serão refeitas e o jogo terá suporte para visual 4K (2160p) a 60 FPS (frames por segundo, essenciais na qualidade de imagem dos games) nos consoles e 8K (4320p) sem limite de quadros no PC. Na versão PC será possível instalar mods, usar um joystick e a instalação do game não irá substituir o Diablo 2 original. O sistema de trocas em geral será igual, porém com melhorias para torna-lo mais eficiente.

O game será um pouco mais limitado para manter a experiência mais próxima do original. Haverá cross-progression, como levar um personagem de uma plataforma para a outra. Não teremos multiplayer coop local como em Diablo 3, exceto no Nintendo Switch, mas ainda será possível ter 8 jogadores online através da Battle.Net. A proteção contra bots e cheats também será maior nessa versão.

Diablo 2: Resurrected é uma reconstrução do jogo original, agora com gráficos em 3D e suporte para altas resoluções (Divulgação: Blizzard)
Leia mais sobre