Ative o Buscapé te Protege GRÁTIS. Suas compras protegidas em até R$ 5mil pelo Buscapé te Protege.

Smartphone Lenovo Vibe C2
Ícone de Favorito

7/10 (Baseado em 29 avaliações)

Produto Indisponível

Avise-me quando chegar
Informações Básicas
TipoSmartphone
MarcaLenovo
ModeloVibe C2
ChipsDual Chip
CoresPreto
Câmera
Câmera Traseira8.0 Megapixels
Funções da CâmeraFilma em HD
Câmera Frontal5.0 Megapixels Frontal
Tela
Tamanho da Tela5.0 polegadas
Tipo de TelaIPS LCD
Resolução1280 X 720 Pixels
DefiniçãoHD
Hardware
NúcleosQuad-Core (4 Núcleos)
Velocidade do Processador1 GHz
Memória Interna16 GB
Memória RAM1 GB RAM
EntradasFone de Ouvido, MicroSD
Software
Sistema OperacionalAndroid
VersãoMarshmallow
Características e Conectividade
Internet4G, Wi-Fi
Bateria
Bateria2750 mAh
Dimensões
Largura71 mm
Altura143 mm
Profundidade8 mm
Peso135 g
Por Colaborador em 22/08/2016
Vibe C2 é o bom smartphone basicão da Lenovo

Modelo traz configurações simples, mas aguenta bem o tranco do dia a dia, também graças a duração de bateria

Prós
  • Desempenho bacana com tarefas cotidianas

  • Tela com boas imagens

  • Bateria duradoura

  • Design ergonômico

Contras
  • Câmera deixa a desejar nos cliques noturnos

Mesmo com smartphones que são capazes de atingir desempenhos monstruosos, que trazem telas maravilhosas, com câmeras de fazer inveja a aparelhos profissionais, com recursos exclusivos e longas durações de bateria, esses modelos ainda são inatingíveis para a maioria dos usuários, principalmente pelo alto valor cobrado. E, às vezes, as pessoas querem apenas um aparelho para fazer o básico: ligações e acessar redes sociais.

Nós testamos o Vibe C2, o celular basiquinho da Lenovo, uma espécie de sucessor do Moto E. Todos os detalhes você confere nos parágrafos a seguir.

Mesmo com smartphones que são capazes de atingir desempenhos monstruosos, que trazem telas maravilhosas, com câmeras de fazer inveja a aparelhos profissionais, com recursos exclusivos e longas durações de bateria, esses modelos ainda são inatingíveis para a maioria dos usuários, principalmente pelo alto valor cobrado. E, às vezes, as pessoas querem apenas um aparelho para fazer o básico: ligações e acessar redes sociais.

Nós testamos o Vibe C2, o celular basiquinho da Lenovo, uma espécie de sucessor do Moto E. Todos os detalhes você confere nos parágrafos a seguir.

Especificações, desempenho e benchmarks

Começando pelas configurações, que são bem modestas, o Vibe C2 conta com um processador Quad-core MediaTek MT6735P de 1 GHz e apenas 1 GB de RAM, mostrando claramente qual é o público-alvo desse aparelho. O Android Marshmallow (6.0) vem praticamente sem customizações e com poucos apps instalados, o que não come espaço do armazenamento do telefone.

Só que a pureza do Android não impede de notar alguns engasgos durante a navegação por menus e na demora para acessar alguns aplicativos. Claro que não ficamos surpresos, pois estamos tratando de um smartphone com configurações básicas.

Realizando nossos testes, fica bem claro que o Vibe C2 é um smartphone para quem quer usar redes sociais e navegar pela internet. Dá para jogar alguns joguinhos? Os mais simples, como Subway Surfers e Jetpack Joyride, rodam numa boa, com pequenas travadinhas. Já os mais pesados, como Real Racing 3, até rodam, mas com gráficos bem reduzidos e travadas mais evidentes, o que prejudica muito a jogabilidade. E recomendamos não deixar muitos apps abertos, pois o telefone vai ficando lento e dificultando o acesso.

Como sempre, também fizemos testes com benchmarks sintéticos, que geram resultados absolutos e ajudam na comparação entre os smartphones. Utilizamos quatro programas: Antutu, Quadrant, 3DMark e PCMark.

No primeiro, que mede o processamento aritmético e gráfico, o Vibe C2 marcou apenas 24754 pontos. No Quadrant, que mede a capacidade de processamento em aparelhos Android, o telefone chegou aos 7257 pontos. No terceiro teste, o processador gráfico foi estressado ao máximo e o celular atingiu 1981 pontos no modo extreme, um resultado bem fraco.

Já no PCMark, são realizados testes que mensuram o desempenho do telefone em atividades cotidianos do dia-a-dia, como navegação, reprodução de vídeo, escrita em editores de texto e edição de imagens. O modelo da Lenovo anotou 2862 pontos.

Os números não são indicativos reais do total poder de processamento, mas mostram claramente que estamos falando de um celular simples, de entrada.

Começando pelas configurações, que são bem modestas, o Vibe C2 conta com um processador Quad-core MediaTek MT6735P de 1 GHz e apenas 1 GB de RAM, mostrando claramente qual é o público-alvo desse aparelho. O Android Marshmallow (6.0) vem praticamente sem customizações e com poucos apps instalados, o que não come espaço do armazenamento do telefone.

Só que a pureza do Android não impede de notar alguns engasgos durante a navegação por menus e na demora para acessar alguns aplicativos. Claro que não ficamos surpresos, pois estamos tratando de um smartphone com configurações básicas.

Realizando nossos testes, fica bem claro que o Vibe C2 é um smartphone para quem quer usar redes sociais e navegar pela internet. Dá para jogar alguns joguinhos? Os mais simples, como Subway Surfers e Jetpack Joyride, rodam numa boa, com pequenas travadinhas. Já os mais pesados, como Real Racing 3, até rodam, mas com gráficos bem reduzidos e travadas mais evidentes, o que prejudica muito a jogabilidade. E recomendamos não deixar muitos apps abertos, pois o telefone vai ficando lento e dificultando o acesso.

Como sempre, também fizemos testes com benchmarks sintéticos, que geram resultados absolutos e ajudam na comparação entre os smartphones. Utilizamos quatro programas: Antutu, Quadrant, 3DMark e PCMark.

No primeiro, que mede o processamento aritmético e gráfico, o Vibe C2 marcou apenas 24754 pontos. No Quadrant, que mede a capacidade de processamento em aparelhos Android, o telefone chegou aos 7257 pontos. No terceiro teste, o processador gráfico foi estressado ao máximo e o celular atingiu 1981 pontos no modo extreme, um resultado bem fraco.

Já no PCMark, são realizados testes que mensuram o desempenho do telefone em atividades cotidianos do dia-a-dia, como navegação, reprodução de vídeo, escrita em editores de texto e edição de imagens. O modelo da Lenovo anotou 2862 pontos.

Os números não são indicativos reais do total poder de processamento, mas mostram claramente que estamos falando de um celular simples, de entrada.

Armazenamento, conectividade, tela e design

Para quem reclama que celular de entrada não tem espaço para guardar seus arquivos, fotos e vídeos, o celular da Lenovo tem sim boa capacidade de armazenamento. Ok, dos 16 GB apenas 10,65 GB estão disponíveis para uso, mas é possível inserir um cartão microSD de até 32 GB para se divertir com séries, fotos e músicas, por exemplo.

Outra vantagem do Vibe C2 são os dois slots para chips 4G. Sempre falamos, mas é bom ressaltar: enquanto um dos chips estiver funcionando para navegar, o outro apenas recebe chamadas e SMS. Já na parte de conectividade, o pequeno traz o pacote básico: Wi-Fi 802.11b/g/n, Bluetooth 4.0 e GPS (com A-GPS, que melhora a precisão da posição).

Com um painel IPS LCD, a tela do smartphone nos agradou bastante. São 5 polegadas com resolução HD (1280 x 720 pixels). Graças a essa tecnologia, o ângulo de visão é maior e as cores são mais equilibradas, assim como brilho e contraste. Tudo bem que o brilho não é dos mais eficazes, já que em locais muito claros, a visualização fica prejudicada.

Um detalhe é a presença do MiraVision, uma tecnologia que permite a melhoria da imagem. Com ela, é possível deixar as cores mais vivas, ativar o contraste dinâmico ou regular o nível de saturação. Tudo manualmente. E quanto a usabilidade, a resposta aos toques é boa. Os botões do Android não fazem parte da tela (ficam abaixo dela – o que, particularmente, não me agrada muito) e são sensíveis ao toque.

Falando sobre design, o Vibe C2 é bastante simples. Seu visual sóbrio transmite exatamente o que ele se propõe a ser: um smartphone básico. Por ser um aparelho de 5 polegadas, a pegada se mostrou boa, principalmente pelo corpo e bordas arredondadas e a traseira texturizada, o que impede alguns escorregões. Outro detalhe é a ‘limpeza’. Por causa da textura, marcas de dedos não ficam impressas no plástico preto.

As bordas, também plásticas, trazem aparência metalizada e possuem 0,8 centímetros de espessura. Para acessar bateria, cartão microSD e cartões microSIM, é preciso retirar a tampa traseira. Na parte inferior, está o microUSB e microfone. Do lado direito, temos o botão liga/desliga e controle de volume. Em cima, P2 para fone de ouvido. Na traseira, câmera, flash LED, alto-falante e outro microfone. Na frente, câmera, sensores de proximidade e luminosidade.

Para quem reclama que celular de entrada não tem espaço para guardar seus arquivos, fotos e vídeos, o celular da Lenovo tem sim boa capacidade de armazenamento. Ok, dos 16 GB apenas 10,65 GB estão disponíveis para uso, mas é possível inserir um cartão microSD de até 32 GB para se divertir com séries, fotos e músicas, por exemplo.

Outra vantagem do Vibe C2 são os dois slots para chips 4G. Sempre falamos, mas é bom ressaltar: enquanto um dos chips estiver funcionando para navegar, o outro apenas recebe chamadas e SMS. Já na parte de conectividade, o pequeno traz o pacote básico: Wi-Fi 802.11b/g/n, Bluetooth 4.0 e GPS (com A-GPS, que melhora a precisão da posição).

Com um painel IPS LCD, a tela do smartphone nos agradou bastante. São 5 polegadas com resolução HD (1280 x 720 pixels). Graças a essa tecnologia, o ângulo de visão é maior e as cores são mais equilibradas, assim como brilho e contraste. Tudo bem que o brilho não é dos mais eficazes, já que em locais muito claros, a visualização fica prejudicada.

Um detalhe é a presença do MiraVision, uma tecnologia que permite a melhoria da imagem. Com ela, é possível deixar as cores mais vivas, ativar o contraste dinâmico ou regular o nível de saturação. Tudo manualmente. E quanto a usabilidade, a resposta aos toques é boa. Os botões do Android não fazem parte da tela (ficam abaixo dela – o que, particularmente, não me agrada muito) e são sensíveis ao toque.

Falando sobre design, o Vibe C2 é bastante simples. Seu visual sóbrio transmite exatamente o que ele se propõe a ser: um smartphone básico. Por ser um aparelho de 5 polegadas, a pegada se mostrou boa, principalmente pelo corpo e bordas arredondadas e a traseira texturizada, o que impede alguns escorregões. Outro detalhe é a ‘limpeza’. Por causa da textura, marcas de dedos não ficam impressas no plástico preto.

As bordas, também plásticas, trazem aparência metalizada e possuem 0,8 centímetros de espessura. Para acessar bateria, cartão microSD e cartões microSIM, é preciso retirar a tampa traseira. Na parte inferior, está o microUSB e microfone. Do lado direito, temos o botão liga/desliga e controle de volume. Em cima, P2 para fone de ouvido. Na traseira, câmera, flash LED, alto-falante e outro microfone. Na frente, câmera, sensores de proximidade e luminosidade.

Câmeras e bateria

Para um smartphone básico como o Vibe C2, seria totalmente normal encontrar poucos controles na câmera. E, realmente, o foco aqui é apontar e fotografar. Sem firulas. Tudo no automático. Ainda dá para ativar HDR, panorâmica e aplicar alguns filtros, mas os resultados são apenas razoáveis.

Em nossos testes, as imagens clicadas em locais bem iluminados, apresentam boa qualidade. Os vídeos seguem na mesma linha, mas falta estabilização, deixando as tremidas bastante visíveis. Em cliques noturnos, os ruídos ficam mais evidentes e deixa o resultado final bem fraco. As fotos são clicadas em até 8 MP e os vídeos tem resolução VGA (640 x 480 pixels). A câmera frontal possui 5 MP e é recomendada para selfies em locais bem iluminados. Do contrário, o resultado é ruim.

Talvez uma das coisas que mais gostamos no celular da Lenovo foi sua autonomia. Com 2750 mAh, uma alta capacidade para celulares de entrada, já era de se esperar um bom resultado. E foi isso que encontramos.

Realizamos nossos testes padrão: 10 fotos, 5 minutos de gravação de vídeo, 15 minutos de visualização de fotos e vídeos, 3 horas de navegação [internet e redes sociais], 30 minutos de ligações, 30 minutos de GPS, 20 minutos de jogos e 10 minutos no YouTube . Tiramos o smartphone da tomada às 10 horas da manhã com 100% e após finalizar todos os testes, restavam 39% da carga. Ou seja, o telefone aguenta bem durante todo o dia.

Para um smartphone básico como o Vibe C2, seria totalmente normal encontrar poucos controles na câmera. E, realmente, o foco aqui é apontar e fotografar. Sem firulas. Tudo no automático. Ainda dá para ativar HDR, panorâmica e aplicar alguns filtros, mas os resultados são apenas razoáveis.

Em nossos testes, as imagens clicadas em locais bem iluminados, apresentam boa qualidade. Os vídeos seguem na mesma linha, mas falta estabilização, deixando as tremidas bastante visíveis. Em cliques noturnos, os ruídos ficam mais evidentes e deixa o resultado final bem fraco. As fotos são clicadas em até 8 MP e os vídeos tem resolução VGA (640 x 480 pixels). A câmera frontal possui 5 MP e é recomendada para selfies em locais bem iluminados. Do contrário, o resultado é ruim.

Talvez uma das coisas que mais gostamos no celular da Lenovo foi sua autonomia. Com 2750 mAh, uma alta capacidade para celulares de entrada, já era de se esperar um bom resultado. E foi isso que encontramos.

Realizamos nossos testes padrão: 10 fotos, 5 minutos de gravação de vídeo, 15 minutos de visualização de fotos e vídeos, 3 horas de navegação [internet e redes sociais], 30 minutos de ligações, 30 minutos de GPS, 20 minutos de jogos e 10 minutos no YouTube . Tiramos o smartphone da tomada às 10 horas da manhã com 100% e após finalizar todos os testes, restavam 39% da carga. Ou seja, o telefone aguenta bem durante todo o dia.

Conclusão

Sabe aquele presente que você está pensando em dar para um parente que quer um celular novo, mas que não precisa da mais alta tecnologia? Pois bem, o Lenovo Vibe C2 se propõe exatamente a isso. Ele é um smartphone para tarefas básicas, como navegar na internet, se divertir com joguinhos casuais ou se comunicar pelas redes sociais. E, para isso, ele manda muito bem. Seu desempenho é bacana com todas essas tarefas.

Outro detalhe é seu design que, mesmo simples, consegue oferecer bom conforto durante o manuseio. A tela é outro ponto positivo, proporcionando ótimas imagens para conferir diferentes conteúdos, como textos ou vídeos. Mas o que chama mais a atenção é a duração da bateria. Dá para usar o Vibe C2 numa boa durante todo o dia que ele não te deixará na mão.

Nosso único porém (que não chega a ser tão grave assim – principalmente nessa categoria) fica por conta dos cliques em baixa luminosidade.

Matérias Relacionadas
8/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
4/10 Não recomendo este produto
Verificado
8/10 Recomendo este produto
Verificado
10/10 Recomendo este produto
Avaliação Geral68%Recomendam a compra
7/10Baseado em 29 avaliações
Aspectos Positivos
  • Custo-Benefício
  • Câmera
  • Display
  • Design
  • Facilidade de Uso
  • Duração da Bateria
  • Funções e Características
Pontos de Atenção
  • Durabilidade
Aspectos Negativos
  • Teclado
  • Desempenho
Enviar sua Avaliação