Ative o Buscapé te Protege GRÁTIS. Suas compras protegidas em até R$ 5mil pelo Buscapé te Protege.

Smartphone Asus ZenFone 2 ZE551ML 32GB Z3580
Ícone de Favorito

8/10 (Baseado em 304 avaliações)

Produto Indisponível

Avise-me quando chegar
Informações Básicas
TipoSmartphone
MarcaAsus
LinhaZenFone
Modelo2 ZE551ML 32GB Z3580
ChipsDual Chip
CoresCinza, Ouro, Preto, Vermelho
Câmera
Câmera Traseira13.0 Megapixels
Funções da CâmeraFlash, Foco Automático, HDR
Câmera Frontal5.0 Megapixels Frontal
Tela
Tamanho da Tela5.5 polegadas
Tipo de TelaIPS
Resolução1920 x 1080 Pixels
Hardware
ProcessadorIntel Atom Z3580
NúcleosQuad-Core (4 Núcleos)
Velocidade do Processador2.3 GHz
Memória Interna32 GB
Memória RAM4 GB RAM
EntradasFone de Ouvido
Software
Sistema OperacionalAndroid
VersãoLollipop
Características e Conectividade
Internet4G, Wi-Fi
RecursosBluetooth 4.0, MP3 Player, NFC, Rádio
Bateria
Bateria3000 mAh
Dimensões
Largura77,2 mm
Altura152,5 mm
Profundidade10,9 mm
Peso170 g
Por Colaborador em 24/08/2015
Asus acerta a mão e faz melhorias na nova geração da linha Zenfone.

Com câmera apurada, disposição inteligente dos botões de comando, interface ZenUI ainda melhor, o Zenfone 2 se mostra mais uma ótima construção da Asus no mercado de smartphones

Prós
  • Design elegante

  • 4 GB de RAM

  • Recarga em até 40 minutos

  • Interface é 100% configurável

Contras
  • Bateria ainda é um problema

  • A tela, apesar da boa resolução, reflete a luminosidade e dificulta a visualização em ambientes abertos

A Asus entrou no mercado de smartphone com o pé direito. Desde a geração 5 e 6 do Zenfone, que disputaram lugar com o Moto G, a marca conhecida pelos notebooks, tablets e computadores, fez seu nome também nos smartphones;

Levou pouco tempo para a Asus lançar a sucessão do Zenfone 6, mas agora com mudanças significativas e pra muito melhor. O Zenfone 2 chegou a Ásia – continente onde se localiza a matriz Taiwanesa – em março, mas no Brasil só desembarcou em agosto desse ano.

É claro que o grande atrativo do Zenfone 2 são os 4 GB de RAM, mas o celular também possui tela IPS Full HD de 5,5 polegadas, com 401 ppi e processador Intel Atom Z3580 quad core de 2,3 GHz.

A Asus entrou no mercado de smartphone com o pé direito. Desde a geração 5 e 6 do Zenfone, que disputaram lugar com o Moto G, a marca conhecida pelos notebooks, tablets e computadores, fez seu nome também nos smartphones;

Levou pouco tempo para a Asus lançar a sucessão do Zenfone 6, mas agora com mudanças significativas e pra muito melhor. O Zenfone 2 chegou a Ásia – continente onde se localiza a matriz Taiwanesa – em março, mas no Brasil só desembarcou em agosto desse ano.

É claro que o grande atrativo do Zenfone 2 são os 4 GB de RAM, mas o celular também possui tela IPS Full HD de 5,5 polegadas, com 401 ppi e processador Intel Atom Z3580 quad core de 2,3 GHz.

Versões, Design e ZenUI

No país serão comercializadas 4 versões, por enquanto:

- O Zenfone 2 (ZE551ML), com processador Intel Atom Z3580, quad core de 2,3 GHz (64 bit), com 4 GB de RAM, câmera de 13 e 5 MP, tela Full HD de 5,5”, 3000 mAh e disponível com 16 ou 32 GB.

- Zenfone Selfie estará disponível na loja da Asus. Ele conta com 3 GB de RAM e processador Snapdragon 515 octa core de 1,7 GHz. A câmera frontal possui 13 MP, assim como a traseira. Já a tela é HD e possui 5,5”, também.  

- Já o Zenfone Laser (ZE550KL), também vendido na loja da Asus, possui 2 GB de RAM, processador dual core Snapdragon 410 de 1,4 GHz, com tela HD de 5” e bateria de 2500 mAh.

- A versão mais cara do Zenfone é o Deluxe, que possui as mesmas configurações do Zenfone 2 comum, mas com 128 GB internos e a traseira mais resistente com um design poligonal.

Batendo o olho, parece que pouco foi alterado no Zenfone 2 para o 5 e 6. Ledo engano. A começar pela aparência mais rechonchuda do novo Zenfone, que agora possui 7,7 de largura e está mais cumprido com 15,2 cm, culpa das bordas arredondadas que tiraram aquela aparência quadradona das gerações anteriores. A tela também está muito melhor aproveitada, agora ocupa 72% do tamanho do display, mas a Asus manteve aquela borda na base do aparelho que não ajuda em nada e só aumenta o tamanho do smartphone.

Mas é na parte de trás do aparelho que a Asus fez a jogada mais inteligente. O Zenfone 2 possui um botão na traseira, assim como na linha G da LG, mas não é um Smartbutton, mas apenas o controle de volume. Isso ajuda na hora de segurar o aparelho, já que não nenhum botão para encostar os dedos e esbarrar sem querer. O botão power fica na parte de cima e a porta MicroUSB está na parte inferior. Também agora notamos uma leve curvatura, tanto que a espessura do aparelho varia de 0,3 mm até 10 mm.

A traseira é de plástico, mas possui a aparência de metal escovado, é removível, mas a bateria não, o que pode ser um ponto negativo caso algum acidente ocorra com ela, dai você terá de mandar para a assistência técnica.

Uma das primeiras configurações que notamos de cara no Zenfone 2 é a interface ZenUI por cima do Android Lollipop, que é, na minha concepção, uma das melhores do mercado, já que é bastante intuitiva e possui algumas facilidades bastante inteligentes, como por exemplo, você pode abaixar o menu rápido desde o meio da tela, ou seja, não precisa ir até o topo do aparelho para poder puxar o menu. Parece um detalhe, mas ajuda bastante numa tela grande, como a do Zenfone 2. Também há a Zen Motion, que é como o Knock Code da LG, basta tocar na tela duas vezes para que ela acenda. Entretanto, diferentemente do artificio da LG, não é possível desbloquear a tela com uma sequência de toques.

Pra quem já está acostumado com a ZenUI, os aplicativos da Asus também estão presentes, como Do It Later, o assistente de áudio e o What’s next são alguns que se perpetuaram no Zenfone 2. 

No país serão comercializadas 4 versões, por enquanto:

- O Zenfone 2 (ZE551ML), com processador Intel Atom Z3580, quad core de 2,3 GHz (64 bit), com 4 GB de RAM, câmera de 13 e 5 MP, tela Full HD de 5,5”, 3000 mAh e disponível com 16 ou 32 GB.

- Zenfone Selfie estará disponível na loja da Asus. Ele conta com 3 GB de RAM e processador Snapdragon 515 octa core de 1,7 GHz. A câmera frontal possui 13 MP, assim como a traseira. Já a tela é HD e possui 5,5”, também.  

- Já o Zenfone Laser (ZE550KL), também vendido na loja da Asus, possui 2 GB de RAM, processador dual core Snapdragon 410 de 1,4 GHz, com tela HD de 5” e bateria de 2500 mAh.

- A versão mais cara do Zenfone é o Deluxe, que possui as mesmas configurações do Zenfone 2 comum, mas com 128 GB internos e a traseira mais resistente com um design poligonal.

Batendo o olho, parece que pouco foi alterado no Zenfone 2 para o 5 e 6. Ledo engano. A começar pela aparência mais rechonchuda do novo Zenfone, que agora possui 7,7 de largura e está mais cumprido com 15,2 cm, culpa das bordas arredondadas que tiraram aquela aparência quadradona das gerações anteriores. A tela também está muito melhor aproveitada, agora ocupa 72% do tamanho do display, mas a Asus manteve aquela borda na base do aparelho que não ajuda em nada e só aumenta o tamanho do smartphone.

Mas é na parte de trás do aparelho que a Asus fez a jogada mais inteligente. O Zenfone 2 possui um botão na traseira, assim como na linha G da LG, mas não é um Smartbutton, mas apenas o controle de volume. Isso ajuda na hora de segurar o aparelho, já que não nenhum botão para encostar os dedos e esbarrar sem querer. O botão power fica na parte de cima e a porta MicroUSB está na parte inferior. Também agora notamos uma leve curvatura, tanto que a espessura do aparelho varia de 0,3 mm até 10 mm.

A traseira é de plástico, mas possui a aparência de metal escovado, é removível, mas a bateria não, o que pode ser um ponto negativo caso algum acidente ocorra com ela, dai você terá de mandar para a assistência técnica.

Uma das primeiras configurações que notamos de cara no Zenfone 2 é a interface ZenUI por cima do Android Lollipop, que é, na minha concepção, uma das melhores do mercado, já que é bastante intuitiva e possui algumas facilidades bastante inteligentes, como por exemplo, você pode abaixar o menu rápido desde o meio da tela, ou seja, não precisa ir até o topo do aparelho para poder puxar o menu. Parece um detalhe, mas ajuda bastante numa tela grande, como a do Zenfone 2. Também há a Zen Motion, que é como o Knock Code da LG, basta tocar na tela duas vezes para que ela acenda. Entretanto, diferentemente do artificio da LG, não é possível desbloquear a tela com uma sequência de toques.

Pra quem já está acostumado com a ZenUI, os aplicativos da Asus também estão presentes, como Do It Later, o assistente de áudio e o What’s next são alguns que se perpetuaram no Zenfone 2. 

Especificações, desempenho e conectividade

Como falamos anteriormente, a versão que testamos possui 4 GB de RAM, um processador Quad Core Intel Atom Z3580 de 2,3 GHz, com arquitetura 64 bits.

É claro que os 4 GB de RAM é a principal característica das configurações do Zenfone 2, mas se não fosse pelo processador poderoso não adiantaria nada. A união deles permite que o Zenfone rode praticamente todos os apps disponíveis na Play Store. Mesmo em jogos mais pesados, como Batman Arkham Knight e Mortal Kombat, não houve nenhum problema.

Não houve lentidão em transição de tela ou abrir e fechar aplicativos. A Asus afirmou que mesmo que 20 aplicativos estejam abertos, o Zenfone não irá travar ou fechar algum programa. Entretanto notamos que quando a bateria está no fim, o celular esquenta um pouco, chegando até a 40°C no auge.

Todas as versões, mesmo a mais básica possuem, no mínimo 16 GB de memoria interna. Mas existem versões com até 32 GB. Caso você ache pouco, você pode colocar um cartão MicroSD de até 64 GB. 

Como falamos anteriormente, a versão que testamos possui 4 GB de RAM, um processador Quad Core Intel Atom Z3580 de 2,3 GHz, com arquitetura 64 bits.

É claro que os 4 GB de RAM é a principal característica das configurações do Zenfone 2, mas se não fosse pelo processador poderoso não adiantaria nada. A união deles permite que o Zenfone rode praticamente todos os apps disponíveis na Play Store. Mesmo em jogos mais pesados, como Batman Arkham Knight e Mortal Kombat, não houve nenhum problema.

Não houve lentidão em transição de tela ou abrir e fechar aplicativos. A Asus afirmou que mesmo que 20 aplicativos estejam abertos, o Zenfone não irá travar ou fechar algum programa. Entretanto notamos que quando a bateria está no fim, o celular esquenta um pouco, chegando até a 40°C no auge.

Todas as versões, mesmo a mais básica possuem, no mínimo 16 GB de memoria interna. Mas existem versões com até 32 GB. Caso você ache pouco, você pode colocar um cartão MicroSD de até 64 GB. 

Tela, câmeras e bateria

Nessa versão, o Zenfone 2 conta com uma tela IPS LCD de 5,5 polegadas de resolução Full HD (1920 x 1080p), com 401 ppi. Nas versões alternativas a tela também é IPS LCD, mas na versão básica possui 5 polegadas e resolução HD, enquanto na versão intermediária a tela possui resolução Full HD, mas 294 ppi.

A tela possui duas negativas: a primeira é que quando estamos em ambientes abertos e iluminados, a tela reflete bastante, fazendo com que o conteúdo fique um pouco apagado e dificultando a visualização; A segunda negativa é a questão da camada anti-digital que a Asus embutiu nessa geração, mas não é tão eficiente, usando o Zenfone por alguns dias, várias marcas de dedo puderam ser observadas na tela do celular.

No quesito câmera, a Asus melhorou bastante desde as versões 5 e 6 do Zenfone. Com os 13 MP da câmera traseira, você pode fotografar a vontade tantos em ambientes bem iluminados, nos quais as fotos saem bastante coloridas e com um ótimo equilíbrio de cores, mas também em ambientes noturnos, usando o modo Pouca Luz, por exemplo, as fotos em ambientes escuros saem com resolução acima da média.

Por falar em um dos recursos, o software da câmera é bastante completo. Há mais de 20 modos para explorar. Testamos o modo Manual, no qual é possível alterar o ISO e a exposição da lente. Há também o modo Super Resolução, o HDR e o modo Noturno, que funciona muito bem. Alguns recursos, é verdade, apresentam alguns lags, como é o caso da câmera lenta, então não recomendamos a utilização desse modo. Em vídeos a câmera traseira grava em Full HD e permite que você tire fotos enquanto filma.

Já a frontal possui 5 MP e possui alguns recursos extras, como o modo Panorâmico, que ajuda naquelas selfies com bastante gente. Há também o modo Pouca Luz, que permite tirar fotos em ambientes menos iluminados. A frontal também filma em Full HD. 

Mas em um ponto a Asus não melhorou tanto assim: na bateria. Mesmo que o Zenfone 2 carregue uma bateria maior, de 3000 mAh, ainda não é o suficiente para passar o dia todo sem precisar da tomada. Isso ficou comprovado em nossos testes, já que tiramos o celular às 9 da manhã e realizamos diversas tarefas que qualquer usuário faria no dia a dia, como navegar nas redes sociais, ver vídeos no YouTube, tirar fotos, realizar ligações, usar o GPS, ouvir música, entre outras. Finalizamos o teste às 16 horas e o Zenfone tinha apenas mais 15% de bateria. Lembrando que em todo o teste o Wi-Fi ficou ligado constantemente e o brilho em 50%.

Ou seja, com o uso intenso durante o dia todo, o celular provavelmente não irá chegar ao começo da noite. Mas se você é daqueles que não utiliza o tempo todo, apenas casualmente, é bom apenas levar o carregador na bolsa. Melhor garantir do que remediar, não é mesmo? 

Nessa versão, o Zenfone 2 conta com uma tela IPS LCD de 5,5 polegadas de resolução Full HD (1920 x 1080p), com 401 ppi. Nas versões alternativas a tela também é IPS LCD, mas na versão básica possui 5 polegadas e resolução HD, enquanto na versão intermediária a tela possui resolução Full HD, mas 294 ppi.

A tela possui duas negativas: a primeira é que quando estamos em ambientes abertos e iluminados, a tela reflete bastante, fazendo com que o conteúdo fique um pouco apagado e dificultando a visualização; A segunda negativa é a questão da camada anti-digital que a Asus embutiu nessa geração, mas não é tão eficiente, usando o Zenfone por alguns dias, várias marcas de dedo puderam ser observadas na tela do celular.

No quesito câmera, a Asus melhorou bastante desde as versões 5 e 6 do Zenfone. Com os 13 MP da câmera traseira, você pode fotografar a vontade tantos em ambientes bem iluminados, nos quais as fotos saem bastante coloridas e com um ótimo equilíbrio de cores, mas também em ambientes noturnos, usando o modo Pouca Luz, por exemplo, as fotos em ambientes escuros saem com resolução acima da média.

Por falar em um dos recursos, o software da câmera é bastante completo. Há mais de 20 modos para explorar. Testamos o modo Manual, no qual é possível alterar o ISO e a exposição da lente. Há também o modo Super Resolução, o HDR e o modo Noturno, que funciona muito bem. Alguns recursos, é verdade, apresentam alguns lags, como é o caso da câmera lenta, então não recomendamos a utilização desse modo. Em vídeos a câmera traseira grava em Full HD e permite que você tire fotos enquanto filma.

Já a frontal possui 5 MP e possui alguns recursos extras, como o modo Panorâmico, que ajuda naquelas selfies com bastante gente. Há também o modo Pouca Luz, que permite tirar fotos em ambientes menos iluminados. A frontal também filma em Full HD. 

Mas em um ponto a Asus não melhorou tanto assim: na bateria. Mesmo que o Zenfone 2 carregue uma bateria maior, de 3000 mAh, ainda não é o suficiente para passar o dia todo sem precisar da tomada. Isso ficou comprovado em nossos testes, já que tiramos o celular às 9 da manhã e realizamos diversas tarefas que qualquer usuário faria no dia a dia, como navegar nas redes sociais, ver vídeos no YouTube, tirar fotos, realizar ligações, usar o GPS, ouvir música, entre outras. Finalizamos o teste às 16 horas e o Zenfone tinha apenas mais 15% de bateria. Lembrando que em todo o teste o Wi-Fi ficou ligado constantemente e o brilho em 50%.

Ou seja, com o uso intenso durante o dia todo, o celular provavelmente não irá chegar ao começo da noite. Mas se você é daqueles que não utiliza o tempo todo, apenas casualmente, é bom apenas levar o carregador na bolsa. Melhor garantir do que remediar, não é mesmo? 

Conclusão

A Asus mais uma vez prova que não está de brincadeira no mercado de smartphones, fazendo celulares que disputam fortes nas diversas categorias. O Zenfone 2 é a mais nova prova disso. Começando pelo design elegante e, ao mesmo tempo, muito inteligente, já que a Asus resolveu se inspirar na Linha G da LG e transportou os botões de volume para a traseira e o botão Power está localizado na parte de cima, ou seja, não há nenhum botão nas laterais para atrapalhar a experiência de uso e também pela leve curvatura que o Zenfone apresenta, o que ajuda na pegada.

Por dentro o Zenfone 2 também é muito interessante. O processador Intel quad core de 2,3 GHz, com arquitetura 64 bit, unido com os incríveis 4 GB de RAM, deixam o aparelho muito fluído, mesmo com as aplicações mais pesadas abertas, inclusive com mais de 15 apps abertos ao mesmo tempo. Observamos, porém, que em alguns momentos o celular esquenta, chegando a 40°C, principalmente quando a bateria está no fim.

Por falar na bateria, esse é um dos pontos falhos que a Asus já poderia ter melhorado. Mesmo que agora o Zenfone carregue 3000 mAh, ela ainda não dura o dia todo, principalmente com o uso intenso, mas se você usar moderadamente é recomendável que você leve um carregador consigo durante o dia. 

Matérias Relacionadas
10/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
2/10 Recomendo este produto
8/10 Recomendo este produto
Avaliação Geral87%Recomendam a compra
8/10Baseado em 304 avaliações
Aspectos Positivos
  • Custo-Benefício
  • Funções e Características
  • Facilidade de Uso
  • Design
  • Display
  • Câmera
  • Durabilidade
Pontos de Atenção
  • Desempenho
  • Duração da Bateria
Enviar sua Avaliação