Ative o Buscapé te Protege GRÁTIS. Suas compras protegidas em até R$ 5mil pelo Buscapé te Protege.

Smartphone Apple iPhone SE 64GB
Ícone de Favorito

9/10 (Baseado em 35 avaliações)

Produto Indisponível

Avise-me quando chegar
Informações Básicas
TipoSmartphone
MarcaApple
LinhaiPhone
ModeloSE 64GB
ChipsSingle Chip
CoresCinza Espacial, Dourado, Prata
Câmera
Câmera Traseira12.0 Megapixels
Funções da CâmeraDetector de Rosto, Estabilização Automática, Filma em 4K, Foco Automático, HDR, Live Photos, Posição Geográfica, Timer, Zoom de 3x
Câmera Frontal1.2 Megapixels Frontal
Funções Câmera FrontalFilma em HD, Flash Retina, HDR, Timer
Tela
Tamanho da Tela4.0 polegadas
Tipo de TelaRetina
Resolução1136 x 640 Pixels
Hardware
ProcessadorApple A9
NúcleosDual-Core (2 Núcleos)
Memória Interna64 GB
Memória RAM2 GB RAM
EntradasFone de Ouvido, Lightning
Software
Sistema OperacionaliOS
Características e Conectividade
Internet4G, Wi-Fi
RecursosAssistente de Voz, MP3 Player, Touch ID
Bateria
Bateria1624 mAh
Autonomia em Stand-by240 Horas
Autonomia em Conversação14 Horas
Dimensões
Largura58,6 mm
Altura123,8 mm
Profundidade7,6 mm
Peso113 g
Por Colaborador em 23/11/2016
iPhone SE é a escolha para quem quer um smartphone menor e potente

Com apenas 4 polegadas de tela, aparelho da Apple conta com o mesmo hardware das versões 6S e 6S Plus, o que garante um desempenho de ponta

Prós
  • Excelente desempenho

  • Bateria duradoura

  • Tela com 4 polegadas é ponto determinante para alguns usuários

  • Boa câmera traseira
Contras
  • Câmera frontal não é das melhores

É inegável que há, no mercado atual, uma tendência por smartphones com tela grande. O próprio iPhone 6S Plus conta com 5.5 polegadas. Mas também há aqueles usuários que não desejam um smartphone gigante e só querem um aparelho mais discreto, porém com bom desempenho. É pensando neles que apresentamos o iPhone SE, um smartphone de 4 polegadas com ótimo hardware. Confira mais a seguir.

É inegável que há, no mercado atual, uma tendência por smartphones com tela grande. O próprio iPhone 6S Plus conta com 5.5 polegadas. Mas também há aqueles usuários que não desejam um smartphone gigante e só querem um aparelho mais discreto, porém com bom desempenho. É pensando neles que apresentamos o iPhone SE, um smartphone de 4 polegadas com ótimo hardware. Confira mais a seguir.

Acabamento e tela

Em termos de design, não há novidades. Quem já esteve com um iPhone 5 ou 5S em mãos e não está muito por dentro das novidades do mercado tecnológico sequer vai notar diferenças entre as versões mais antigas e a SE. Por fora, ele conta com o mesmo acabamento, misturando alumínio e vidro em algumas partes. No mercado, ele está disponível nas cores prateada, dourada, cinza-espacial e ouro rosa. A amostra que tivemos em mãos foi a prateada, com traseira e bordas na cor prata e entorno da tela.

Quanto às medidas, elas são dignas de um aparelho menor: são 12,38 cm de altura por 5,86 cm de largura e apenas 0,76 cm de espessura. Seu peso é de 113 gramas. Portanto, ele é um boa escolha para quem quer um smartphone para utilizar com apenas uma das mãos. Além disso, ele tem um bom encaixe nos bolsos, sem incomodar durante o cotidiano.

Para pessoas com mãos grandes (como é o meu caso), o iPhone SE pode não ter o melhor encaixe utilizando-o com as duas mãos. E isso acaba sendo prejudicial na hora de digitar textos, já que o teclado por si só já é menor do que a maioria dos smartphones. Mas, fora isso, sem problemas no quesito ergonomia.

À esquerda do aparelho, estão localizados os botões de volume e a pequena “trava” que permite silenciar rapidamente o smartphone. Na parte de cima, encontramos o Power, enquanto o botão Home se encontra no mesmo local tradicional de outros aparelhos da Apple, na parte da frente. Aliás, é nesse mesmo local que vemos o Touch ID (leitor de digitais do iPhone SE), que funciona muito bem e permite desbloquear sem problemas o aparelho.

Na parte de baixo, há uma entrada para a tradicional Lightning da fabricante, além dos alto-falantes e da P2. O sistema de som, aliás, dá para o gasto. Para assistir a vídeos e ouvir algumas músicas, o iPhone SE dá conta do recado. À direita, você encontrará a bandeja de chips do padrão nano SIM.

A tela talvez seja o principal foco do iPhone SE. Não porque ela tem uma qualidade muito boa ou porque traz características diferenciadas, mas pelo simples fato de que ela é sim o principal argumento para você adquirir um iPhone SE (e não um iPhone 6 ou 6S Plus). Com 4 polegadas de tela e resolução de 1136 x 640 pixels (o que resulta em uma densidade de 326 pixels por polegada), o smartphone da Apple também conta com a famosa tela de retina, presente em muitos produtos da marca. Todo esse conjunto resulta, na prática, em uma tela com ótima definição e bons níveis de cores e de brilho. Além disso, a tela dificilmente reflete luzes que estejam incidindo no aparelho, o que é um excelente ponto.

Assistir a seriados no Netflix não é a melhor das ideias, já que as 4 polegadas de tela se mostram bem reduzidas para alguns detalhes. Mas, para assistir a alguns vídeos casuais no YouTube, o iPhone SE dará conta do recado sem nenhuma dificuldade. Já para ler ou navegar pela timeline do Facebook, o aparelho da Apple traz boas características e, se as letras estiverem pequenas, o menu de acessibilidade do aparelho também permite com que você aumente o tamanho da tipografia (o que, para mim, foi muito bem-vindo).

Se você está na dúvida se realmente deve ser aventurar no mundo do iPhone SE por causa da tela, vão aqui algumas experiências que tive com o smartphone. Há cerca de 2 anos, utilizo aparelhos com telas bem maiores do que 4 polegadas. Meu Moto X da 2ª geração possuía 5.2 polegadas, enquanto seu sucessor, o Lenovo Vibe A7010, é ainda maior, com display de 5.5 polegadas. Com isso, já é possível perceber que eu estava bem acostumado com smartphones maiores. A transição não foi das mais fáceis e algumas experiências ficam bem prejudicadas em uma tela menor, como a leitura de alguns textos e o uso do teclado digital. Mas isso, para mim, foi passageiro. Em poucos dias, a tela de 4 polegadas do iPhone se tornou mais habitual e, após isso, smartphones como o Lenovo A7010 começaram a parecer maiores do que o normal. Então, para mim, foi uma questão de me acostumar com o seu tamanho.

Em termos de design, não há novidades. Quem já esteve com um iPhone 5 ou 5S em mãos e não está muito por dentro das novidades do mercado tecnológico sequer vai notar diferenças entre as versões mais antigas e a SE. Por fora, ele conta com o mesmo acabamento, misturando alumínio e vidro em algumas partes. No mercado, ele está disponível nas cores prateada, dourada, cinza-espacial e ouro rosa. A amostra que tivemos em mãos foi a prateada, com traseira e bordas na cor prata e entorno da tela.

Quanto às medidas, elas são dignas de um aparelho menor: são 12,38 cm de altura por 5,86 cm de largura e apenas 0,76 cm de espessura. Seu peso é de 113 gramas. Portanto, ele é um boa escolha para quem quer um smartphone para utilizar com apenas uma das mãos. Além disso, ele tem um bom encaixe nos bolsos, sem incomodar durante o cotidiano.

Para pessoas com mãos grandes (como é o meu caso), o iPhone SE pode não ter o melhor encaixe utilizando-o com as duas mãos. E isso acaba sendo prejudicial na hora de digitar textos, já que o teclado por si só já é menor do que a maioria dos smartphones. Mas, fora isso, sem problemas no quesito ergonomia.

À esquerda do aparelho, estão localizados os botões de volume e a pequena “trava” que permite silenciar rapidamente o smartphone. Na parte de cima, encontramos o Power, enquanto o botão Home se encontra no mesmo local tradicional de outros aparelhos da Apple, na parte da frente. Aliás, é nesse mesmo local que vemos o Touch ID (leitor de digitais do iPhone SE), que funciona muito bem e permite desbloquear sem problemas o aparelho.

Na parte de baixo, há uma entrada para a tradicional Lightning da fabricante, além dos alto-falantes e da P2. O sistema de som, aliás, dá para o gasto. Para assistir a vídeos e ouvir algumas músicas, o iPhone SE dá conta do recado. À direita, você encontrará a bandeja de chips do padrão nano SIM.

A tela talvez seja o principal foco do iPhone SE. Não porque ela tem uma qualidade muito boa ou porque traz características diferenciadas, mas pelo simples fato de que ela é sim o principal argumento para você adquirir um iPhone SE (e não um iPhone 6 ou 6S Plus). Com 4 polegadas de tela e resolução de 1136 x 640 pixels (o que resulta em uma densidade de 326 pixels por polegada), o smartphone da Apple também conta com a famosa tela de retina, presente em muitos produtos da marca. Todo esse conjunto resulta, na prática, em uma tela com ótima definição e bons níveis de cores e de brilho. Além disso, a tela dificilmente reflete luzes que estejam incidindo no aparelho, o que é um excelente ponto.

Assistir a seriados no Netflix não é a melhor das ideias, já que as 4 polegadas de tela se mostram bem reduzidas para alguns detalhes. Mas, para assistir a alguns vídeos casuais no YouTube, o iPhone SE dará conta do recado sem nenhuma dificuldade. Já para ler ou navegar pela timeline do Facebook, o aparelho da Apple traz boas características e, se as letras estiverem pequenas, o menu de acessibilidade do aparelho também permite com que você aumente o tamanho da tipografia (o que, para mim, foi muito bem-vindo).

Se você está na dúvida se realmente deve ser aventurar no mundo do iPhone SE por causa da tela, vão aqui algumas experiências que tive com o smartphone. Há cerca de 2 anos, utilizo aparelhos com telas bem maiores do que 4 polegadas. Meu Moto X da 2ª geração possuía 5.2 polegadas, enquanto seu sucessor, o Lenovo Vibe A7010, é ainda maior, com display de 5.5 polegadas. Com isso, já é possível perceber que eu estava bem acostumado com smartphones maiores. A transição não foi das mais fáceis e algumas experiências ficam bem prejudicadas em uma tela menor, como a leitura de alguns textos e o uso do teclado digital. Mas isso, para mim, foi passageiro. Em poucos dias, a tela de 4 polegadas do iPhone se tornou mais habitual e, após isso, smartphones como o Lenovo A7010 começaram a parecer maiores do que o normal. Então, para mim, foi uma questão de me acostumar com o seu tamanho.

Desempenho e conectividade

É por dentro que vemos o grande trunfo do iPhone SE. Isso porque ele conta com a maioria dos atrativos vistos nas versões 6S e 6S Plus, como o processador A9 de 64 bits, que entrega um desempenho bem acima do A7 visto na versão 5S. Além disso, o SE também traz 2 GB de memória RAM. Em outras palavras, o que vemos é um aparelho mais compacto com um desempenho excelente, justamente indicado para quem deseja um smartphone com tela pequena, mas não abre mão de rodar tudo sem problemas.

E é justamente isso que vimos na prática. Utilizei o iPhone SE como um aparelho pessoal por várias semanas e o resultado foi excelente. Em nenhum momento ele pecou ao abrir e fechar aplicativos, mesmo com muitos apps em segundo plano. O desempenho com jogos também foi excelente, com bons níveis gráficos e boa fluidez. Portanto, é um aparelho com excelente desempenho no dia a dia.

Como de costume, também executamos alguns benchmarks, que são softwares direcionados a uma análise do modelo e cujos resultados ajudam a fazer uma comparação com outros smartphones. Primeiramente, rodamos o Antutu, que faz uma espécie de avaliação geral do modelo - tanto na parte gráfica quanto na operacional. Nesse caso, o resultado foi de 130377 pontos.

O 3D Mark, por outro lado, foi o software utilizado por nós para medir o desempenho gráfico do iPhone SE. Nele, há basicamente três cenários de uso, básico, intermediário e intenso. Nos dois primeiros, o próprio software julgou que o iPhone SE possui um hardware acima daquelas expectativas. Já para a simulação mais intensa de uso, o iPhone SE atingiu 29280 pontos, o que é uma marca excelente.

No quesito conectividade, o iPhone traz Wi-Fi padrão 802.11a/b/g/n/ac, GPS (A-GPS e GLONASS), além de Bluetooth 4.2 e  NFC. No mercado, há opções de 16 GB e 64 GB de armazenamento. Bom, poderia ter uma versão com 32 GB, não é?

É por dentro que vemos o grande trunfo do iPhone SE. Isso porque ele conta com a maioria dos atrativos vistos nas versões 6S e 6S Plus, como o processador A9 de 64 bits, que entrega um desempenho bem acima do A7 visto na versão 5S. Além disso, o SE também traz 2 GB de memória RAM. Em outras palavras, o que vemos é um aparelho mais compacto com um desempenho excelente, justamente indicado para quem deseja um smartphone com tela pequena, mas não abre mão de rodar tudo sem problemas.

E é justamente isso que vimos na prática. Utilizei o iPhone SE como um aparelho pessoal por várias semanas e o resultado foi excelente. Em nenhum momento ele pecou ao abrir e fechar aplicativos, mesmo com muitos apps em segundo plano. O desempenho com jogos também foi excelente, com bons níveis gráficos e boa fluidez. Portanto, é um aparelho com excelente desempenho no dia a dia.

Como de costume, também executamos alguns benchmarks, que são softwares direcionados a uma análise do modelo e cujos resultados ajudam a fazer uma comparação com outros smartphones. Primeiramente, rodamos o Antutu, que faz uma espécie de avaliação geral do modelo - tanto na parte gráfica quanto na operacional. Nesse caso, o resultado foi de 130377 pontos.

O 3D Mark, por outro lado, foi o software utilizado por nós para medir o desempenho gráfico do iPhone SE. Nele, há basicamente três cenários de uso, básico, intermediário e intenso. Nos dois primeiros, o próprio software julgou que o iPhone SE possui um hardware acima daquelas expectativas. Já para a simulação mais intensa de uso, o iPhone SE atingiu 29280 pontos, o que é uma marca excelente.

No quesito conectividade, o iPhone traz Wi-Fi padrão 802.11a/b/g/n/ac, GPS (A-GPS e GLONASS), além de Bluetooth 4.2 e  NFC. No mercado, há opções de 16 GB e 64 GB de armazenamento. Bom, poderia ter uma versão com 32 GB, não é?

Câmera e bateria

A câmera é outro ponto alto do smartphone da Apple. O iPhone SE conta com uma câmera traseira de 12 MP, assim como a do 6S. Sua abertura é de f/2.2, além de estabilização digital (ou seja, nada de estabilização óptica, que está presente na versão 6S Plus). Enquanto isso, a câmera frontal conta com 1,2 MP (bem abaixo dos 5 MP encontrados no 6S convencional). Apesar desses números parecem bem abaixo do mercado (principalmente com vários concorrentes trazendo câmeras com muitos megapixels), os resultados são muito bons.

As fotos, no geral, ficam com uma boa riqueza de detalhes, graças à boa taxa de contraste e os níveis de cores captados principalmente pela câmera frontal. À noite, a principal até dá conta do recado, mas as selfies da frontal ficarão um pouco mais prejudicadas. Quanto ao software, sem novidades. Quem já utilizou um aparelho da Apple não vai estranhar a disposição de recursos e a boa velocidade com que fotos e vídeos são tiradas. Mais um ponto positivo para a Apple.

Portanto, se você quer uma boa câmera em um smartphone compacto, considere o iPhone SE uma opção mais do que bem-vinda.

A bateria é sempre um quesito bastante polêmico quando se trata de iPhones, já que esse é um dos pontos mais críticos em relação à linha da Apple. Mas devo dizer que o iPhone SE, por outro lado, surpreendeu pela duração de bateria. Não é um smartphone vai render mais do que um dia de uso, mas ficará um bom tempo fora das tomadas.

Como de costume em nossos testes, submetemos o smartphone a uma série de atividades. Na primeira fase de avaliação, tiramos 10 fotos e fizemos um pequeno vídeo de 5 minutos. Após isso, visualizamos os resultados por 15 minutos. Em seguida, navegamos por redes sociais por cerca de 3 horas, fizemos ligações por mais 30 minutos, rodamos por GPS por meia hora e jogamos por mais 20 minutos. Para finalizar, exibimos vídeos no YouTube por 10 minutos e ouvimos algumas músicas por 1 hora. Ao fim do teste, ainda restavam 36% de bateria, uma boa marca.

Como o utilizei como um smartphone pessoal, vale aqui também relatar minhas impressões sobre o aparelho no cotidiano. Primeiramente, considero que meu uso de smartphones é bastante pesado, já que utilizo bastante redes sociais, além de escutar músicas no Spotify e navegar por portais de notícias. Saindo de casa pela manhã (com 100% de bateria), o iPhone SE conseguiu ter carga no final do dia, restando cerca de 15 a 20% de bateria.

 

Mas há também outro ponto: seu carregador. O carregamento do iPhone SE é extremamente rápido e em pouco tempo você consegue repor uma boa porcentagem da bateria, o que pode te salvar em alguns momentos.

A câmera é outro ponto alto do smartphone da Apple. O iPhone SE conta com uma câmera traseira de 12 MP, assim como a do 6S. Sua abertura é de f/2.2, além de estabilização digital (ou seja, nada de estabilização óptica, que está presente na versão 6S Plus). Enquanto isso, a câmera frontal conta com 1,2 MP (bem abaixo dos 5 MP encontrados no 6S convencional). Apesar desses números parecem bem abaixo do mercado (principalmente com vários concorrentes trazendo câmeras com muitos megapixels), os resultados são muito bons.

As fotos, no geral, ficam com uma boa riqueza de detalhes, graças à boa taxa de contraste e os níveis de cores captados principalmente pela câmera frontal. À noite, a principal até dá conta do recado, mas as selfies da frontal ficarão um pouco mais prejudicadas. Quanto ao software, sem novidades. Quem já utilizou um aparelho da Apple não vai estranhar a disposição de recursos e a boa velocidade com que fotos e vídeos são tiradas. Mais um ponto positivo para a Apple.

Portanto, se você quer uma boa câmera em um smartphone compacto, considere o iPhone SE uma opção mais do que bem-vinda.

A bateria é sempre um quesito bastante polêmico quando se trata de iPhones, já que esse é um dos pontos mais críticos em relação à linha da Apple. Mas devo dizer que o iPhone SE, por outro lado, surpreendeu pela duração de bateria. Não é um smartphone vai render mais do que um dia de uso, mas ficará um bom tempo fora das tomadas.

Como de costume em nossos testes, submetemos o smartphone a uma série de atividades. Na primeira fase de avaliação, tiramos 10 fotos e fizemos um pequeno vídeo de 5 minutos. Após isso, visualizamos os resultados por 15 minutos. Em seguida, navegamos por redes sociais por cerca de 3 horas, fizemos ligações por mais 30 minutos, rodamos por GPS por meia hora e jogamos por mais 20 minutos. Para finalizar, exibimos vídeos no YouTube por 10 minutos e ouvimos algumas músicas por 1 hora. Ao fim do teste, ainda restavam 36% de bateria, uma boa marca.

Como o utilizei como um smartphone pessoal, vale aqui também relatar minhas impressões sobre o aparelho no cotidiano. Primeiramente, considero que meu uso de smartphones é bastante pesado, já que utilizo bastante redes sociais, além de escutar músicas no Spotify e navegar por portais de notícias. Saindo de casa pela manhã (com 100% de bateria), o iPhone SE conseguiu ter carga no final do dia, restando cerca de 15 a 20% de bateria.

 

Mas há também outro ponto: seu carregador. O carregamento do iPhone SE é extremamente rápido e em pouco tempo você consegue repor uma boa porcentagem da bateria, o que pode te salvar em alguns momentos.

Conclusão

O iPhone SE é tudo que você poderia querer em um aparelho mais novo da Apple, mas em um smartphone menor, com apenas 4 polegadas de tela. Seu processador é atual e o mesmo utilizado nas linhas 6S e 6S Plus da marca, e, além disso, ele também traz uma ótima câmera e compatibilidade com o Apple Pay. Outro ponto positivo é a compatibilidade com acessórios do iPhone 5 e 5S. Portanto, se você deseja trocar seu aparelho mais antigo e não dispensa um smartphone menor, a versão SE é mais do que bem-vinda.

Matérias Relacionadas
2/10 Recomendo este produto
Verificado
10/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
Verificado
10/10 Recomendo este produto
Avaliação Geral91%Recomendam a compra
9/10Baseado em 35 avaliações
Aspectos Positivos
  • Design
  • Display
  • Funções e Características
  • Câmera
  • Facilidade de Uso
  • Durabilidade
  • Custo-Benefício
  • Duração da Bateria
Enviar sua Avaliação