Ative o Buscapé te Protege GRÁTIS. Suas compras protegidas em até R$ 5mil pelo Buscapé te Protege.

Smartphone Alcatel Pixi 4 (6) 8050
Ícone de Favorito

7/10 (Baseado em 29 avaliações)

Produto Indisponível

Avise-me quando chegar
Informações Básicas
TipoSmartphone
MarcaAlcatel
ModeloPixi 4 (6) 8050
Câmera
Câmera Traseira13.0 Megapixels
Funções da CâmeraDetector de Rosto, Filma em Full HD, HDR, Panorama
Câmera Frontal8.0 Megapixels Frontal
Funções Câmera FrontalSelfie Flash
Tela
Tamanho da Tela6.0 polegadas
Hardware
NúcleosQuad-Core (4 Núcleos)
Velocidade do Processador1.3 GHz
Software
Sistema OperacionalAndroid
VersãoLollipop
Características e Conectividade
Internet3G, Wi-Fi
RecursosBluetooth 4.0, Wi-Fi Direct
Bateria
Bateria2600 mAh
Autonomia em Stand-by552 Horas
Autonomia em Conversação15 Horas
Dimensões
Largura87 mm
Altura165 mm
Profundidade7,9 mm
Peso170 g
Por Colaborador em 09/05/2016
Alcatel Pixi 4 é o básico para quem gosta de telas grandes

Com 6 polegadas de display, o modelo oferece bom desempenho, mas sofre tanto com a baixa resolução do display quanto com a taxa de contraste

Prós
  • Bom desempenho para a categoria

  • Menus fluidos e intuitivos

  • Bateria com boa duração

Contras
  • Tela com baixa resolução

  • Marcas de gordura aparecem com facilidade na traseira do aparelho

  • Pelo tamanho, a ergonomia não é das melhores

Gosta de smartphones com tela grande? Então o Pixi 4 pode ser uma boa opção para você. Ele é um smartphone mais básico, com hardware mais modesto e indicado para quem quer navegar pelas redes sociais e quer rodar alguns jogos casuais em sua tela de 6 polegadas. Confira mais informações sobre o modelo a seguir.

Gosta de smartphones com tela grande? Então o Pixi 4 pode ser uma boa opção para você. Ele é um smartphone mais básico, com hardware mais modesto e indicado para quem quer navegar pelas redes sociais e quer rodar alguns jogos casuais em sua tela de 6 polegadas. Confira mais informações sobre o modelo a seguir.

Acabamento e tela

Por ser um smartphone mais barato, o Pixi 4 tem suas limitações e o acabamento definitivamente é uma das principais. O aparelho é até bem leve para seu tamanho (são 170 gramas de peso), mas o modelo foi todo moldado de um plástico bem simples e que deixa diversas marcas de digitais com facilidade. E isso não se restringe à traseira do aparelho. A tela também é outro ponto que sofre com os rastros de dedos.

Como o smartphone possui 6 polegadas de tela, seu tamanho não poderia ser menor. Ao todo, o modelo conta com 16,5 cm de altura por 8,7 cm de largura por 0,79 cm de profundidade. A pegada, é claro, não é das melhores e é muito desconfortável utilizá-lo com apenas uma das mãos.

A disposição dos botões não é muito diferente de outros aparelhos. Na parte direita do modelo, encontramos tanto o Power quanto o controle do volume. Vale ressaltar que é bem confortável utilizar o aparelho tanto com a mão direita quanto com a esquerda. Já na lateral esquerda do modelo encontramos a entrada para dois chips. Para fechar o conjunto, estão disponíveis uma P2 e uma microUSB na parte de cima.

A tela, é claro, é o ponto que chama mais atenção no smartphone. Com 6 polegadas, ela definitivamente não é discreta e é um fator determinante antes de comprar o aparelho. Se você não gosta de telas maiores, esse smartphone definitivamente não é indicado. Mas vamos à análise técnica dele.

 

O display conta com tecnologia IPS e resolução qHD (960 x 540 pixels). Na prática, essas características tornam o Pixi 4 um pouco mais limitado na hora de reproduzir alguns conteúdos, isso porque a tela não possui muito contraste e a baixa resolução deixa vários pixels à mostra. Por isso, não espere muita qualidade na hora de ver filmes e séries. Apesar disso, ela oferece um espaço generoso para navegar na Internet e nas redes sociais com conforto.

Por ser um smartphone mais barato, o Pixi 4 tem suas limitações e o acabamento definitivamente é uma das principais. O aparelho é até bem leve para seu tamanho (são 170 gramas de peso), mas o modelo foi todo moldado de um plástico bem simples e que deixa diversas marcas de digitais com facilidade. E isso não se restringe à traseira do aparelho. A tela também é outro ponto que sofre com os rastros de dedos.

Como o smartphone possui 6 polegadas de tela, seu tamanho não poderia ser menor. Ao todo, o modelo conta com 16,5 cm de altura por 8,7 cm de largura por 0,79 cm de profundidade. A pegada, é claro, não é das melhores e é muito desconfortável utilizá-lo com apenas uma das mãos.

A disposição dos botões não é muito diferente de outros aparelhos. Na parte direita do modelo, encontramos tanto o Power quanto o controle do volume. Vale ressaltar que é bem confortável utilizar o aparelho tanto com a mão direita quanto com a esquerda. Já na lateral esquerda do modelo encontramos a entrada para dois chips. Para fechar o conjunto, estão disponíveis uma P2 e uma microUSB na parte de cima.

A tela, é claro, é o ponto que chama mais atenção no smartphone. Com 6 polegadas, ela definitivamente não é discreta e é um fator determinante antes de comprar o aparelho. Se você não gosta de telas maiores, esse smartphone definitivamente não é indicado. Mas vamos à análise técnica dele.

 

O display conta com tecnologia IPS e resolução qHD (960 x 540 pixels). Na prática, essas características tornam o Pixi 4 um pouco mais limitado na hora de reproduzir alguns conteúdos, isso porque a tela não possui muito contraste e a baixa resolução deixa vários pixels à mostra. Por isso, não espere muita qualidade na hora de ver filmes e séries. Apesar disso, ela oferece um espaço generoso para navegar na Internet e nas redes sociais com conforto.

Desempenho e conectividade

O Pixi 4 de 6 polegadas conta com processador Quad-core MediaTek MT6580 de 1.3 GHz, memória RAM de 1 GB e GPU Mali-400. No geral, o desempenho do Pixi 4 foi bem bom, digamos que até melhor do que se espera em aparelhos dessa faixa de preço. Desde aplicativos mais básicos até os mais potentes, como o jogo Asphalt 8, o Pixi 4 teve bom desempenho e rodou tudo muito bem. Claro, a qualidade gráfica não bate com modelos de ponta e mostra alguns serrilhados nas bordas das imagens. Mas também não é algo tão grave e, dentro dos limites, até bem esperado em smartphones mais baratos.

O único problema de desempenho visto em alguns momentos foi na hora de abrir e fechar alguns apps. Nesses momentos, o Pixi 4 teve uma ligeira demora para processar a tarefa. Mas, no geral, o hardware do modelo da Alcatel fez um bom trabalho.

Como de costume, também executamos alguns benchmarks, que são softwares direcionados a uma análise do modelo e cujos resultados ajudam a fazer uma comparação com outros smartphones. Primeiramente, rodamos o Antutu, que faz uma espécie de avaliação geral do modelo - tanto na parte gráfica quanto na operacional. Nesse caso, o resultado foi de 23359 pontos. Já no Quadrant, que faz uma análise parecida, o Pixi 4 atingiu 8927 pontos.

Já no 3D Mark, o smartphone da Alcatel é submetido a uma bateira de testes um pouco distinta. Nesse caso, o foco é ver como a parte gráfica do aparelho se sai, ou seja, se a taxa de frames não cai quando exigido ou como o aparelho se comporta rodando desde gráficos mais simples quanto os mais complexos. Como isso varia conforme a exigência, o benchmark oferece três cenários de uso, chamados (por ordem de intensidade) de Ice Storm, Ice Storm Unlimited e Ice Storm Extreme. Os resultados foram de 2961, 2915 e 1991 pontos. E, no final, esses dados revelam a limitação do Pixi 4 na parte gráfica.

O ponto mais fraco no smartphone está na sua capacidade de memória interna, que é de apenas 8 GB, o que, hoje em dia, é uma marca que dificulta bastante a capacidade de uso do aparelho. Até há uma possibilidade de expansão via cartão SD de 16 GB, mas nada que surpreenda.

 

O Pixi 4 traz a versão 5.1 do Android, conhecida como Lollipop e tudo indica que ela será atualizada para a nova versão, conhecida como Marshmallow. No geral, a interface do aparelho é bem limpa e fluida, com uma versão do Android com poucas alterações feitas pela Alcatel, o que é muito positivo.

O Pixi 4 de 6 polegadas conta com processador Quad-core MediaTek MT6580 de 1.3 GHz, memória RAM de 1 GB e GPU Mali-400. No geral, o desempenho do Pixi 4 foi bem bom, digamos que até melhor do que se espera em aparelhos dessa faixa de preço. Desde aplicativos mais básicos até os mais potentes, como o jogo Asphalt 8, o Pixi 4 teve bom desempenho e rodou tudo muito bem. Claro, a qualidade gráfica não bate com modelos de ponta e mostra alguns serrilhados nas bordas das imagens. Mas também não é algo tão grave e, dentro dos limites, até bem esperado em smartphones mais baratos.

O único problema de desempenho visto em alguns momentos foi na hora de abrir e fechar alguns apps. Nesses momentos, o Pixi 4 teve uma ligeira demora para processar a tarefa. Mas, no geral, o hardware do modelo da Alcatel fez um bom trabalho.

Como de costume, também executamos alguns benchmarks, que são softwares direcionados a uma análise do modelo e cujos resultados ajudam a fazer uma comparação com outros smartphones. Primeiramente, rodamos o Antutu, que faz uma espécie de avaliação geral do modelo - tanto na parte gráfica quanto na operacional. Nesse caso, o resultado foi de 23359 pontos. Já no Quadrant, que faz uma análise parecida, o Pixi 4 atingiu 8927 pontos.

Já no 3D Mark, o smartphone da Alcatel é submetido a uma bateira de testes um pouco distinta. Nesse caso, o foco é ver como a parte gráfica do aparelho se sai, ou seja, se a taxa de frames não cai quando exigido ou como o aparelho se comporta rodando desde gráficos mais simples quanto os mais complexos. Como isso varia conforme a exigência, o benchmark oferece três cenários de uso, chamados (por ordem de intensidade) de Ice Storm, Ice Storm Unlimited e Ice Storm Extreme. Os resultados foram de 2961, 2915 e 1991 pontos. E, no final, esses dados revelam a limitação do Pixi 4 na parte gráfica.

O ponto mais fraco no smartphone está na sua capacidade de memória interna, que é de apenas 8 GB, o que, hoje em dia, é uma marca que dificulta bastante a capacidade de uso do aparelho. Até há uma possibilidade de expansão via cartão SD de 16 GB, mas nada que surpreenda.

 

O Pixi 4 traz a versão 5.1 do Android, conhecida como Lollipop e tudo indica que ela será atualizada para a nova versão, conhecida como Marshmallow. No geral, a interface do aparelho é bem limpa e fluida, com uma versão do Android com poucas alterações feitas pela Alcatel, o que é muito positivo.

Bateria e câmera

A bateria é um dos pontos fortes do aparelho. Como sempre, fizemos nosso teste padrão, que se baseia em uma série de atividades ao longo do dia. Na primeira fase de avaliação, tiramos 10 fotos e fizemos um pequeno vídeo de 5 minutos. Após isso, visualizamos os resultados por 15 minutos. Em seguida, navegamos por redes sociais por cerca de 3 horas, fizemos ligações por mais 30 minutos, rodamos por GPS por meia hora e jogamos por mais 20 minutos. Para finalizar, exibimos vídeos no YouTube por 10 minutos e ouvimos algumas músicas por 1 hora. Ao fim do período restavam 33% de bateria, uma ótima marca. Vale ressaltar que mantivemos o brilho ajustado em cerca de 50% e o Wi-fi esteve ligado a todo momento.

Já o conjunto de câmeras, com uma principal de 13 MP capaz de filmar em full HD e uma frontal de 8 MP, deixa a desejar. Mas digamos que isso já é esperado em um smartphone que se encontra nessa faixa de preço. No geral, tanto as fotos da câmera principal quanto as da secundária ficam sem muita cor e com taxas de contraste bem limitadas. É um conjunto, portanto, para quem realmente não quer perder o clique, mas sem esperar muita qualidade. Já na parte externa, o smartphone conta com flash em ambas as câmeras, mas nada que faça milagres durante à noite.

 

O software da câmera, aliás, acompanha a simplicidade do conjunto. As opções não são tão diversificadas e também não fazem muitas melhorias à imagem. Além do HDR, estão disponíveis o modo panorâmico, o modo manual (que também não permite muitos ajustes na imagem) e o realce, que procura fazer ajustes na pele. O único recurso mais interessante é o modo Polaroid. Com ele, você pode dividir a tela de captura em duas metades e tirar duas fotos distintas. Após isso, surgirão na tela opções para editar a foto. Não é nada demais, mas já é algo que foge do convencional nessa faixa de smartphones.

A bateria é um dos pontos fortes do aparelho. Como sempre, fizemos nosso teste padrão, que se baseia em uma série de atividades ao longo do dia. Na primeira fase de avaliação, tiramos 10 fotos e fizemos um pequeno vídeo de 5 minutos. Após isso, visualizamos os resultados por 15 minutos. Em seguida, navegamos por redes sociais por cerca de 3 horas, fizemos ligações por mais 30 minutos, rodamos por GPS por meia hora e jogamos por mais 20 minutos. Para finalizar, exibimos vídeos no YouTube por 10 minutos e ouvimos algumas músicas por 1 hora. Ao fim do período restavam 33% de bateria, uma ótima marca. Vale ressaltar que mantivemos o brilho ajustado em cerca de 50% e o Wi-fi esteve ligado a todo momento.

Já o conjunto de câmeras, com uma principal de 13 MP capaz de filmar em full HD e uma frontal de 8 MP, deixa a desejar. Mas digamos que isso já é esperado em um smartphone que se encontra nessa faixa de preço. No geral, tanto as fotos da câmera principal quanto as da secundária ficam sem muita cor e com taxas de contraste bem limitadas. É um conjunto, portanto, para quem realmente não quer perder o clique, mas sem esperar muita qualidade. Já na parte externa, o smartphone conta com flash em ambas as câmeras, mas nada que faça milagres durante à noite.

 

O software da câmera, aliás, acompanha a simplicidade do conjunto. As opções não são tão diversificadas e também não fazem muitas melhorias à imagem. Além do HDR, estão disponíveis o modo panorâmico, o modo manual (que também não permite muitos ajustes na imagem) e o realce, que procura fazer ajustes na pele. O único recurso mais interessante é o modo Polaroid. Com ele, você pode dividir a tela de captura em duas metades e tirar duas fotos distintas. Após isso, surgirão na tela opções para editar a foto. Não é nada demais, mas já é algo que foge do convencional nessa faixa de smartphones.

Conclusão

O Pixi 4 pode não ter o mesmo desempenho e qualidade se comparado a seus principais concorrentes, como o Quantum GO e o LG K10, mas sua proposta é mesmo atingir a parcela do público que não dispensa tela grandes, já que ele conta com 6 polegadas. No entanto, a qualidade das imagens deixa um pouco a desejar, já que o display não oferece um bom nível de contraste e traz uma taxa de brilho muitas vezes insuficiente. O desempenho não é dos piores, mas certamente há outras opções na mesma faixa de preço com hardwares mais potentes. Portanto, o Pixi 4 é uma alternativa para quem não quer gastar muito em um smartphone com tela grande.

Matérias Relacionadas
Verificado
8/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
Verificado
10/10 Recomendo este produto
Verificado
8/10 Recomendo este produto
Avaliação Geral89%Recomendam a compra
7/10Baseado em 29 avaliações
Aspectos Positivos
  • Custo-Benefício
  • Funções e Características
  • Design
  • Facilidade de Uso
  • Durabilidade
  • Display
  • Duração da Bateria
  • Câmera
Enviar sua Avaliação