Ative o Buscapé te Protege GRÁTIS. Suas compras protegidas em até R$ 5mil pelo Buscapé te Protege.

Informações Básicas
MarcaMicrosoft
PlataformaXbox One
Capacidade500 GB
VideogameXbox One
Processador
Bits64
Processador (CPU)AMD 8-Core
Velocidade CPU1,6 GHz
Compatibilidade
Mídias CompatíveisBlu-Ray
Gráfico
Processador Gráfico (GPU)AMD Radeon GCN
Velocidade GPU800 MHz
Conexões
Saída de VídeoHDMI
Outras ConexõesUSB, Wi-Fi
Memória
Memória RAM8192 MB
Por Colaborador em 21/11/2014
Xbox One: Diversão para todos em casa

Funcionando como uma verdadeira central multimídia, o console da Microsoft chega forte para brigar com seus concorrentes de nova geração

Prós
  • Joystick com boa ergonomia
  • Interface fácil de usar e multitarefa inteligente
  • Gráficos e imagens excelentes
Contras
  • Instalação de jogos é obrigatória
  • Controle ainda depende de pilhas
  • Função da TV não funciona completamente no Brasil

Na guerra entre Sony e Microsoft, a empresa do Bill Gates veio com o Xbox One que, além de videogame, também serve como uma central multimídia, que atenderá a todos da sua família.

Design e conectividade

Poderia ser um videocassete, mas é só o Xbox One mesmo. Suas dimensões de 33,3 x 7,9 x 27,4 cm (L x A x P) e seu peso de 3,5 quilos dão ao console uma aparência bem robusta que não agradou os usuários da Microsoft. O acabamento de plástico possui a cor preta fosca e é bom tomar cuidado para não riscá-lo. O dissipador de calor espalha-se pelas partes superior, lateral e traseira, fazendo com que o aparelho não esquente muito, e os players podem ficar tranquilos em relação à vida útil do aparelho. Nas conexões temos o Wi-Fi padrão 802.11 a/b/g/n e interface de rede Gigabit Ethernet. Sua configuração é bem simples. Para utilizar o Netflix e Skype, transmitir os jogos online e aproveitar tudo que os jogos oferecem, é preciso fazer a assinatura do Xbox Live Gold. Ele custa 99 reais e é válido por 1 ano. Com o Twitch, podemos mostrar para o mundo, ao vivo, tudo que jogamos no console. O Xbox One ainda conta com duas entradas HDMI, saída de áudio óptico, entrada para o Kinect, saída infra-vermelho, três entradas USBs (duas na parte traseira e uma na lateral), um botão para sincronizar novos controles, e um botão touch para ejetar CDs, sem esquecer do conector para cabo de força.

Hardware e interface

O Xbox One vem com 500 GB no HD e seu leitor óptico de Blu-ray torna obrigatório a instalação de todos os games no videogame. Aqui não podemos trocar o disco e fazer o upgrade como no console da Sony. Apesar disso, a entrada USB permite conectar HDs externos, facilitando o armazenamento tanto para alguns jogos grandes que ocupam bastante espaço, como para as gravações e capturas de momentos durante a jogatina. O console da Microsoft, em parceria com a AMD, desenvolveu uma APU que traz uma CPU octa-core de 1,75 GHz de arquitetura Jaguar. Além da GPU AMD Radeon. Com esse conjunto todo, a Microsoft promete um processamento máximo de 1,23 TFLOPS. Servindo tanto para sistema quanto para vídeo, a memória unificada RAM DDR3 vem com 8 GB. Uma eSRAM de 32 MB foi colocada dentro da APU, dividindo espaço com a CPU e GPU. Tudo isso para conseguir mais velocidade na taxa de transferência. Mas nem assim foi possível garantir um desempenho ótimo para games com resolução full HD. Os jogos do Xbox One oferecem entre 720 e 900 pixels, diferente do console da Sony, que oferece 1080 pontos em alguns títulos. Apesar dessa pequena desvantagem, os gráficos impressionam e não deixam a desejar quando comparados ao PS4. A interface do Xbox One tem a cara do Windows 8 assim que ligamos o aparelho. Um pouco diferente do menu convencional, ele é dividido em três categorias: Loja, Marcações (favoritos), e Início (atividades recentes). O perfil do usuário se encontra ao lado da tela de início. A multitarefa é bem ágil. Aqui podemos voltar à Home, executar algum aplicativo e em seguida voltar ao jogo, do ponto de parada, sem nenhum problema. No Brasil, o suporte à TV não possui grande utilidade. Porém o One Guide, guia de programação, mostra tudo que os canais estão exibindo e o recurso Snap permite que você assista algum programa sem ter que pausar seu jogo. Conectando o cabo HDMI na entrada traseira do console, é possível configurar o modo TV, deixando que ele regule todos os ajustes necessários.

Joystick, Kinect e jogatina:

O joystick do Xbox One possui uma ergonomia excelente com uma pegada muito melhor, agora que não há a protuberância do espaço para pilhas que os antigos modelos traziam. E ele pesa 277 gramas. Os botões continuam praticamente na mesma posição. O Back e o Start agora são Visão e Menu, cumprindo a mesma função. É possível carregar a bateria do joystick através da entrada microUSB, se você não quiser usar as pilhas. Também podemos conectar nele, o headset que acompanha o produto. Existem dois sensores localizados na parte superior do joystick que servem para conectar ao Kinect. Nos jogos, pudemos sentir uma ótima qualidade nas imagens e gráficos excelentes. No Forza 5, o joystick vibra, trazendo uma experiência mais real ao jogador. O Xbox One mostrou sua potência com o Dead Rising 3, que não engasgou em nenhum momento, mesmo com várias imagens de zumbis pipocando na tela. E usando o Kinect no Zoo Tycoon, foi possível usar o corpo para alimentar animais e a resposta foi boa.

Conclusão
Já que ele funciona como central multimídia, o Xbox One pode entreter todos da família. Sua interface é fácil de usar, a multitarefa deixa que duas coisas aconteçam ao mesmo tempo, e os gráficos impressionam nos jogos. É um pouco chato ter que instalar todos os games no HD, e uma pena que o joystick ainda dependa de pilhas e funções como a TV ainda não possam ser 100% aproveitadas.
Matérias Relacionadas
4/10 Não recomendo
10/10 Recomendo
10/10 Recomendo
10/10 Recomendo
10/10 Recomendo
Avaliação Geral95%Recomendam a compra
9/10Baseado em 359 avaliações
Aspectos Positivos
  • Diversão
  • Gráficos
  • Controles
  • Resistência do Aparelho
  • Variedade de Jogos
  • Custo-Benefício
Pontos de Atenção
  • Jogabilidade
Enviar sua Avaliação