Ative o Buscapé te Protege GRÁTIS. Suas compras protegidas em até R$ 5mil pelo Buscapé te Protege.

Informações Básicas
MarcaMicrosoft
PlataformaXbox One
Capacidade1024 GB
VideogameXbox One
Por Colaborador em 13/06/2016
Xbox One 1024 GB dá um salto de qualidade

Com a atualização deste console, a Microsoft agora tem um videogame mais perto para brigar com o PS4, da Sony.

Prós
  • Ótimos gráficos

  • Extensa lista de jogos exclusivos ou não e compatibilidade com muitos títulos do Xbox 360

  •  Muitos aplicativos de mídia

  • Capacidade de 1 TB

Contras
  • Falta melhorias ao Kinect

  • Tempo longo para instalação de jogos

O Xbox One evoluiu desde seu lançamento em 2013. A versão com 1 TB de capacidade interna surgiu no mercado em meados de 2015 – o modelo inicial tem 500 GB. Desde a primeira versão do Xbox One, a Microsoft tem feito várias melhorias no console, algumas bem significativas. Nesta análise, veja os pontos positivos do aparelho de 1 TB, assim como os pontos que precisam melhorar.

O Xbox One evoluiu desde seu lançamento em 2013. A versão com 1 TB de capacidade interna surgiu no mercado em meados de 2015 – o modelo inicial tem 500 GB. Desde a primeira versão do Xbox One, a Microsoft tem feito várias melhorias no console, algumas bem significativas. Nesta análise, veja os pontos positivos do aparelho de 1 TB, assim como os pontos que precisam melhorar.

Design com qualidade Microsoft

Com peso de 5,7 Kg, o Xbox One tem 37,3 cm x 32,3 cm x 19 cm de dimensões, sem considerar o Kinect, o dispositivo de reconhecimento de voz e movimento.

O design do Xbox One 1024 GB mantém as mesmas características do modelo inicial de 500 GB, sem inovações perceptíveis. Ele é retangular, feito de plástico resistente e de qualidade, com bom acabamento, sem apresentar rebarbas, como o esperado de um produto da Microsoft, assim como pelo alto preço do produto.

Na parte superior do console, há um mix de parte lisa com textura. Os botões no console são sensíveis ao toque. Já o controle apresenta boa empunhadura, tornando seu uso confortável mesmo quando usado por muito tempo; e os dedos ficam em posição de fácil acesso aos botões.

A maioria dos consoles do Xbox One 1024 GB são totalmente na cor preta. Entretanto, a Microsoft montou vários pacotes, chamados Bundles. Entre eles, estão a Edição Limitada Halo 5: Guardians; o Forza Motorsport 6; o FIFA 16; o Tom Clancy’s The Division. Tanto o Halo quanto o Forza apresentam consoles e controles personalizados, mostrando cores diferenciadas.

Com peso de 5,7 Kg, o Xbox One tem 37,3 cm x 32,3 cm x 19 cm de dimensões, sem considerar o Kinect, o dispositivo de reconhecimento de voz e movimento.

O design do Xbox One 1024 GB mantém as mesmas características do modelo inicial de 500 GB, sem inovações perceptíveis. Ele é retangular, feito de plástico resistente e de qualidade, com bom acabamento, sem apresentar rebarbas, como o esperado de um produto da Microsoft, assim como pelo alto preço do produto.

Na parte superior do console, há um mix de parte lisa com textura. Os botões no console são sensíveis ao toque. Já o controle apresenta boa empunhadura, tornando seu uso confortável mesmo quando usado por muito tempo; e os dedos ficam em posição de fácil acesso aos botões.

A maioria dos consoles do Xbox One 1024 GB são totalmente na cor preta. Entretanto, a Microsoft montou vários pacotes, chamados Bundles. Entre eles, estão a Edição Limitada Halo 5: Guardians; o Forza Motorsport 6; o FIFA 16; o Tom Clancy’s The Division. Tanto o Halo quanto o Forza apresentam consoles e controles personalizados, mostrando cores diferenciadas.

Novidades constantes

A versão do Xbox One 1024 GB, lançado em 2015, trouxe mais novidades, além do dobro do hard drive disk (HDD). Entre elas, está a inclusão de uma nova entrada USB 3.0, cujo objetivo é que jogos em HDs externos tenham um melhor desempenho.

A Microsoft vem promovendo melhorias no seu console constantemente, desde o lançamento da primeira versão em 2013. Uma das mais significativas diz respeito à funcionalidade do firmware, com maior facilidade e melhor estética do painel, obtida com a atualização de interface, batizada de New Xbox One Experience, que foi disponibilizada no final de 2015. Esta mesma atualização passou a oferecer a compatibilidade para alguns jogos do Xbox 360 no novo console.

Dentre os consoles da atual geração, o Xbox One se destaca em alguns pontos. Um deles é na quantidade dos aplicativos de mídia. Começamos pelo Skype, de propriedade da própria Microsoft. Através do Xbox e do Kinect (sensor de voz e movimento), o usuário pode conversar em high-definition (HD) com seus amigos e conta com o modo Snap, que permite conversa enquanto assiste TV ou joga. Além disso, há opções de TV, filmes, música... Há aplicativos do YouTube (a plataforma de vídeos do Google), o Upload Studios (para editar clipes, que permite upload para o OneDrive, que armazena e que fica acessível por outro dispositivo), do Netflix (de streaming de audiovisual, que exige assinatura), entre muitos outros.

A biblioteca de jogos tem sido crescente e ultrapassa os 350 títulos, com destaque para Call of Duty, as séries Assassin’s Creed e Madden (da NFL), Rainbow Six Siege e Fallout 4, para citar alguns. Além desses games, com versões também disponíveis para o concorrente PS4, a Microsoft tem uma lista grande de títulos exclusivos para o Xbox, representando um atrativo a mais para o consumidor.

O conteúdo fica na nuvem, e esse fato facilita operacionalmente que a Microsoft disponibilize novos aplicativos o tempo todo. O videogame também abriga a EA Access, e os assinantes do serviço têm acesso a jogos antigos da desenvolvedora de games, mas o melhor é que podem jogar títulos alguns dias antes do lançamento. Os gamers adoram conhecer as novidades antes de todos.

Outro diferencial é o aplicativo de Media Player, que roda quase todos os formatos de arquivo de vídeo, foto e música e de qualquer lugar, como de um PC que esteja conectado à rede doméstica ou de algum dispositivo de armazenamento. No ano passado, o PS4 incluiu um aplicativo similar.

O Kinect, que pode ser adquirido à parte do console ou junto com ele, foi desenvolvido lá atrás, com o Xbox 360. Na época, parecia ser um interessante e atrativo diferencial, que contou com o desenvolvimento de games que exigiam o aparato para se jogar. Nos últimos anos, entretanto, parece que deixou de ser uma prioridade para a Microsoft. Ele tem sua importância no uso do Skype, mas também promove uma experiência interessante para dar comandos de voz para o console, como dizer para ele fechar um jogo, que será salvo no disco rígido. Esse comando por voz, porém, deixa um pouco a desejar.

O controle do One melhorou um pouco em relação ao do 360, que apresentava problemas no pad, que no Xbox One passou a ser tátil. Ainda no controle, a duração da bateria agora (duas pilhas AA) tem vida mais longa que antes. As pilhas podem ser as tradicionais, as recarregáveis, mas também está disponível para venda um kit de carga, para evitar que a bateria zere bem no meio daquele jogo! Uma novidade boa do controle do Xbox One 1024, em comparação ao do modelo de 500 GB, é a inclusão da entrada para headphone (3,5 mm) – até então, era necessário adquirir um adaptador para esse fim.

Há outros pontos positivos do Xbox One. O console aceita a conexão de um hard drive externo (através de conexão USB 3.0). O ideal, porém, é que ele seja de no mínimo 250 GB, para evitar comprometimento do desempenho do videogame. O proprietário de um Xbox One consegue acessar, com seu login, todos os seus jogos salvos na nuvem de qualquer outro Xbox One, mesmo sem ter assinatura da Live Gold. Também não precisa mais da assinatura desse serviço para acessar Skype e Netflix, por exemplo – a Xbox Live Gold continua necessária para games multiplayer online. É bom lembrar que os assinantes do serviço podem baixar gratuitamente dois jogos por mês.

O console também passou a “conversar” com PCs que tenham o Windows 10 – basta baixar o app Xbox Windows 10, que permite ao usuário transmitir seus games do Xbox One para o computador. Por fim, houve uma atualização no final de 2015 que reformulou a interface do painel do console, com um design mais interessante e mais amigável na navegação, mas ainda tem espaço para melhorar. Entretanto, isso não deixou a instalação de jogos mais rápida, como era esperado.

Há outros features que deixam a desejar. Apesar de ter melhorado, a interface do sistema ainda é confusa, mas o usuário acaba se acostumando com o passar do tempo. O Kinect é um gadget que também pode melhorar, já que ele simplesmente não “compreende” todos os comandos.

Outro ponto que merece a atenção da Microsoft é no tempo de instalação de jogos, longo demais, se comparado ao PS4. Ainda numa comparação: o aplicativo Twitch, que permite aos jogadores a transmissão de seus jogos por um link na Internet, sem dúvida tem seus atrativos, mas o PS4 é muito melhor no streaming e no compartilhamento de conteúdo. Além disso, não é fácil, no Xbox One, captar a imagem de um jogo num exato momento desejado.

A versão do Xbox One 1024 GB, lançado em 2015, trouxe mais novidades, além do dobro do hard drive disk (HDD). Entre elas, está a inclusão de uma nova entrada USB 3.0, cujo objetivo é que jogos em HDs externos tenham um melhor desempenho.

A Microsoft vem promovendo melhorias no seu console constantemente, desde o lançamento da primeira versão em 2013. Uma das mais significativas diz respeito à funcionalidade do firmware, com maior facilidade e melhor estética do painel, obtida com a atualização de interface, batizada de New Xbox One Experience, que foi disponibilizada no final de 2015. Esta mesma atualização passou a oferecer a compatibilidade para alguns jogos do Xbox 360 no novo console.

Dentre os consoles da atual geração, o Xbox One se destaca em alguns pontos. Um deles é na quantidade dos aplicativos de mídia. Começamos pelo Skype, de propriedade da própria Microsoft. Através do Xbox e do Kinect (sensor de voz e movimento), o usuário pode conversar em high-definition (HD) com seus amigos e conta com o modo Snap, que permite conversa enquanto assiste TV ou joga. Além disso, há opções de TV, filmes, música... Há aplicativos do YouTube (a plataforma de vídeos do Google), o Upload Studios (para editar clipes, que permite upload para o OneDrive, que armazena e que fica acessível por outro dispositivo), do Netflix (de streaming de audiovisual, que exige assinatura), entre muitos outros.

A biblioteca de jogos tem sido crescente e ultrapassa os 350 títulos, com destaque para Call of Duty, as séries Assassin’s Creed e Madden (da NFL), Rainbow Six Siege e Fallout 4, para citar alguns. Além desses games, com versões também disponíveis para o concorrente PS4, a Microsoft tem uma lista grande de títulos exclusivos para o Xbox, representando um atrativo a mais para o consumidor.

O conteúdo fica na nuvem, e esse fato facilita operacionalmente que a Microsoft disponibilize novos aplicativos o tempo todo. O videogame também abriga a EA Access, e os assinantes do serviço têm acesso a jogos antigos da desenvolvedora de games, mas o melhor é que podem jogar títulos alguns dias antes do lançamento. Os gamers adoram conhecer as novidades antes de todos.

Outro diferencial é o aplicativo de Media Player, que roda quase todos os formatos de arquivo de vídeo, foto e música e de qualquer lugar, como de um PC que esteja conectado à rede doméstica ou de algum dispositivo de armazenamento. No ano passado, o PS4 incluiu um aplicativo similar.

O Kinect, que pode ser adquirido à parte do console ou junto com ele, foi desenvolvido lá atrás, com o Xbox 360. Na época, parecia ser um interessante e atrativo diferencial, que contou com o desenvolvimento de games que exigiam o aparato para se jogar. Nos últimos anos, entretanto, parece que deixou de ser uma prioridade para a Microsoft. Ele tem sua importância no uso do Skype, mas também promove uma experiência interessante para dar comandos de voz para o console, como dizer para ele fechar um jogo, que será salvo no disco rígido. Esse comando por voz, porém, deixa um pouco a desejar.

O controle do One melhorou um pouco em relação ao do 360, que apresentava problemas no pad, que no Xbox One passou a ser tátil. Ainda no controle, a duração da bateria agora (duas pilhas AA) tem vida mais longa que antes. As pilhas podem ser as tradicionais, as recarregáveis, mas também está disponível para venda um kit de carga, para evitar que a bateria zere bem no meio daquele jogo! Uma novidade boa do controle do Xbox One 1024, em comparação ao do modelo de 500 GB, é a inclusão da entrada para headphone (3,5 mm) – até então, era necessário adquirir um adaptador para esse fim.

Há outros pontos positivos do Xbox One. O console aceita a conexão de um hard drive externo (através de conexão USB 3.0). O ideal, porém, é que ele seja de no mínimo 250 GB, para evitar comprometimento do desempenho do videogame. O proprietário de um Xbox One consegue acessar, com seu login, todos os seus jogos salvos na nuvem de qualquer outro Xbox One, mesmo sem ter assinatura da Live Gold. Também não precisa mais da assinatura desse serviço para acessar Skype e Netflix, por exemplo – a Xbox Live Gold continua necessária para games multiplayer online. É bom lembrar que os assinantes do serviço podem baixar gratuitamente dois jogos por mês.

O console também passou a “conversar” com PCs que tenham o Windows 10 – basta baixar o app Xbox Windows 10, que permite ao usuário transmitir seus games do Xbox One para o computador. Por fim, houve uma atualização no final de 2015 que reformulou a interface do painel do console, com um design mais interessante e mais amigável na navegação, mas ainda tem espaço para melhorar. Entretanto, isso não deixou a instalação de jogos mais rápida, como era esperado.

Há outros features que deixam a desejar. Apesar de ter melhorado, a interface do sistema ainda é confusa, mas o usuário acaba se acostumando com o passar do tempo. O Kinect é um gadget que também pode melhorar, já que ele simplesmente não “compreende” todos os comandos.

Outro ponto que merece a atenção da Microsoft é no tempo de instalação de jogos, longo demais, se comparado ao PS4. Ainda numa comparação: o aplicativo Twitch, que permite aos jogadores a transmissão de seus jogos por um link na Internet, sem dúvida tem seus atrativos, mas o PS4 é muito melhor no streaming e no compartilhamento de conteúdo. Além disso, não é fácil, no Xbox One, captar a imagem de um jogo num exato momento desejado.

O que vem na embalagem e acessórios avulsos

Na embalagem, que pesa 12 Kg, você encontrará o console com HDD de 1 TB, fonte de alimentação universal (bivolt), cabo HDMI, controle sem fio, headset e manual de instruções. No caso de bundles, vem ainda um voucher do respectivo jogo para download via internet, ou em mídia física, dependendo do pacote adquirido.

De acessórios, é possível adquirir o Kinect, controles –são várias as opções–, kit de carregador de bateria para o controle, headsets, adaptador sem fio para Windows 10, controle remoto, além da assinatura do serviço Xbox Live Gold mensal ou anual.

A garantia do produto é de 12 meses, junto ao fornecedor. Bivolt, este Xbox One tem um HDD de 1024 GB (ou 1 TB), com consumo de energia de cerca de 289 kWh.

Na embalagem, que pesa 12 Kg, você encontrará o console com HDD de 1 TB, fonte de alimentação universal (bivolt), cabo HDMI, controle sem fio, headset e manual de instruções. No caso de bundles, vem ainda um voucher do respectivo jogo para download via internet, ou em mídia física, dependendo do pacote adquirido.

De acessórios, é possível adquirir o Kinect, controles –são várias as opções–, kit de carregador de bateria para o controle, headsets, adaptador sem fio para Windows 10, controle remoto, além da assinatura do serviço Xbox Live Gold mensal ou anual.

A garantia do produto é de 12 meses, junto ao fornecedor. Bivolt, este Xbox One tem um HDD de 1024 GB (ou 1 TB), com consumo de energia de cerca de 289 kWh.

Conclusão

Comparado ao PS4, o Xbox One fica à frente pelo número de jogos exclusivos para a plataforma e pelos seus aplicativos de mídia. Já as grandes vantagens do console da Sony são no quesito jogabilidade e na interface mais amigável. Muitos especialistas não têm dúvidas em eleger o PS4 melhor, mas acreditamos que um ponto importante na escolha por um ou outro console está nos games que o usuário quer jogar. Considerando que os preços não são muito diferentes, então, para decidir qual comprar, verifique antes se aquele jogo que você deseja muito não é exclusivo de algum dos dois consoles.

Matérias Relacionadas
6/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
Verificado
8/10 Recomendo este produto
Verificado
10/10 Recomendo este produto
Verificado
10/10 Recomendo este produto
Avaliação Geral100%Recomendam a compra
9/10Baseado em 17 avaliações
Aspectos Positivos
  • Gráficos
  • Controles
  • Diversão
  • Resistência do Aparelho
  • Variedade de Jogos
  • Custo-Benefício
Enviar sua Avaliação