Buscapé
BuscapéNosso sistema detectou que você está usando um navegador desatualizado

Para uma melhor experiência usando o Buscapé, aconselhamos que atualize o seu navegador para a versão mais recente.
Agradecemos desde já sua compreensão.

Review: Apple TV 4ª geração

Em sua quarta geração, o novo dispositivo da fabricante norte-americana agora traz um controle repaginado com giroscópio e acelerômetro

  • Por: João Henrique Furtado SilvaJoão Henrique Furtado Silva23/09/2016
  • 23/09/2016

A Apple TV é um dos produtos disponíveis no mercado para quem deseja um dispositivo para reproduzir conteúdo audiovisual, como séries no Netflix e vídeos no YouTube, na tela da televisão. Ela está na quarta geração e, como novidades, estão a presença de mais apps compatíveis com o dispositivo e a apresentação de um novo controle remoto. Confira mais detalhes.

Desempenho

As configurações inicias do aparelho são bem simples. Ao conectá-lo na tomada e ligá-lo, um simples menu vai te pedir informações básicas, como país de origem e língua nativa. A partir disso, a Apple TV estará quase em pleno funcionamento. Eu digo quase porque há um detalhe essencial para ser feito antes de se aventurar e baixar os diversos aplicativos que a TV oferece.

É necessário, antes, logar-se em uma conta cadastrada no sistema da Apple, assim como em outros modelos que integram diferentes plataformas (como a Android TV). Como eu ainda não havia uma conta deste tipo, tive que criar uma específica no site da Apple. Depois disso, basta acessá-la uma vez no iTunes Store e, em seguida, conectá-la na sua Apple TV por meio da guia contas, que está presente nas configurações do aparelho.

Esse é um primeiro passo bem importante, já que é, a partir daí, que você estará em plenas condições de baixar e instalar aplicativos que estão presentes na App Store.

E o desempenho do sistema, como um todo, é excelente. Os menus são muito fluidos e fechar ou abrir novos aplicativos não deve ser um problema, já que a Apple TV conta com o mesmo hardware do iPhone 6. E isso implica em um ótimo desempenho gráfico. Nos jogos que testamos - como é o caso do Real Racing 3 e do Angry Birds Go -, tudo ficou com boa resolução e sem serrilhamentos, características bem comuns em hardwares mais básicos.

Menus e App Store

A Apple é conhecida por suas interfaces mais minimalistas, sem grandes detalhes e sempre buscando trazer uma usabilidade mais intuitiva ao usuário. E, com a Apple TV, isso não poderia ser diferente. é muito difícil se perder nas funções dispostas no menu inicial, que são extremamente simples e diretas.

Na interface, há duas faixas básicas. A primeira linha traz as 5 principais funções do aparelho: filmes - que dá acesso ao catálogo de longas do iTunes -, a famosa App Store, além do aplicativo para acessar fotos do iCloud, para escutar suas músicas do iTunes e para acessar e ouvir podcasts. Logo abaixo, há três funções mais básicas do aparelho: uma para busca de conteúdos, outra para transmitir conteúdo da biblioteca do iTunes e outra para acessar o menu de configurações do aparelho. A partir daí, você encontrará todos os aplicativos adquiridos e instalados por meio da App Store.

Aliás, a loja também é muito simples de ser utilizada e você encontrará várias opções de aplicativos para instalar. No geral, eles estão divididos por diversas categorias, como jogos, gastronomia e bebidas, finanças, educação, entre outros.

Controle remoto

O fator mais interessante para a nova versão da Apple TV é, sem dúvidas, o seu controle remoto. Ele se conecta via Bluetooth com o aparelho e conta com acelerômetro e giroscópio interno, o que é um fator fundamental para rodar alguns jogos como Real Racing 3.

Assim como os menus, o acessório também é bem minimalista e conta com apenas seis botões - um para os menus, outro para a tela inicial Apple TV, outra para acessar a Siri - que ainda não está presente na versão brasileira do produto -, além do play/pausa e ajuste de volume. Se essas opções não forem intuitivas a princípio, com certeza serão mais familiares em pouco tempo.

Falando em Siri, a assistente pessoal da Apple infelizmente não está disponível na versão em português do produto. Ao invés de ativá-la, o botão específico para a função dá acesso a um campo de busca de filmes, aplicativos e outros funções.

Além de todas essas funções, o controle remoto também conta com um touchpad específico, que quebra bastante o galho, principalmente se você precisa buscar um filme com um nome gigante no Netflix, por exemplo.

É preciso ter um iPhone para utilizar?

Não é necessário, mas abre uma gama de possibilidades de uso. Uma delas é utilizar o AirPlay, que permite com que você espelhe a tela do iPhone diretamente na tela da TV. Mas, para isso, é necessário que você tenha um iPhone 4S (ou superior) ou um iPad 2 (ou superior). Uma segunda opção é instalar o Apple TV Remote. Com ele, você consegue ativar algumas funções do aparelho, como ativar a Siri, selecionar ou reproduzir conteúdos, além de controlar os comandos de alguns jogos.

Vale a pena?

Pensando no mercado brasileiro, a quarta geração da Apple TV não é nada competitiva. O produto de fato entrega um desempenho excelente e as opções de uso são bem mais diversificadas do que seus principais concorrentes, como o Chromecast, produzido pela Google. Mas, considerando sua faixa de preço, os diferenciais colocados pela Apple não se justificam, ainda mais se considerarmos que sua principal função ainda continua sendo a de transmitir conteúdo via streaming, algo que o Chromecast também faz por um preço bem mais em conta.

  • #Apple TV
  • #Netflix
  • #Media server