Buscapé
BuscapéNosso sistema detectou que você está usando um navegador desatualizado

Para uma melhor experiência usando o Buscapé, aconselhamos que atualize o seu navegador para a versão mais recente.
Agradecemos desde já sua compreensão.

Benefícios do videogame que você nem imagina!

Quando pensamos em videogames, automaticamente o associamos à cultura pop e à enorme indústria do entretenimento, não é mesmo? Mas e se, além disso, eles estivessem ligados positivamente aos melhores resultados em tratamentos de doenças e ao desenvolvimento dos seus filhos?

  • Por: da Redação Buscapéda Redação Buscapé22/09/2016
  • 22/09/2016

Considerado um vilão para um bom desenvolvimento infantil, o videogame tem ganhado um espaço positivo em relação à evolução das crianças, auxiliando no raciocínio lógico, como em jogos de estratégia, e na agilidade, em jogos nos quais a criança tem um tempo determinado para cumprir as metas. Eles ensinam a criança a perder e a ganhar, principalmente em jogos com mais de um jogador, e estreitam o convívio com a família e colegas.

Os jogos de videogame estimulam a atenção e a concentração, principalmente naquela fase em que as crianças se distraem com tudo.

Mesmo havendo controvérsias, há estudos que indicam que jogos de tiro e guerras podem funcionar como uma válvula de escape para crianças agressivas, deixando que elas extravasem sua raiva.

Na fase de aprendizado, muitas crianças acabam desenvolvendo doenças relacionadas à concentração e à hiperatividade, por isso os pais buscam médicos que geralmente receitam medicamentos controlados para diminuir os sintomas. Porém, nesses remédios há substâncias viciantes, além de poderem gerar efeitos colaterais, como taquicardia, depressão e ansiedade.

Pensando em uma maneira de ajudar essas crianças e os pacientes de uma maneira divertida e eficiente, o cientista da computação Cosmin Mihaiu e alguns médicos e terapeutas criam a MIRA Rehab, uma empresa que desenvolvolve jogos para videogame criados para contribuir ou substituir os tratamentos médicos. Os jogos desenvolvidos por eles utilizam o sensor Kinect, que não usa o controle, e sim o corpo para interagir.

Esses jogos são alternativas divertidas e eficientes para o tratamento de doenças físicas e mentais, como Parkinson, Alzheimer, transtorno de déficit de atenção, ansiedade, depressão, autismo, excesso de agressividade, derrames, perda de reflexos ou paralisias.

Os jogos que têm uma interação maior com o corpo auxiliam no equilíbrio, na habilidade motora e até no controle da respiração. Nos outros jogos há uma grande melhora na memória, atenção, velocidade, controle da distração, vitórias, emoções e diminuição de sintomas do déficit de atenção, por exemplo.

É muito importante que os videogames não se tornem um problema, por isso é preciso manter o uso dentro do limite. Lembrando que os jogos devem ser utilizados para fins educacionais, em momentos de lazer ou como uma ferramenta para auxiliar em alguns tratamentos. Por isso, alie uma boa saúde com muita diversão para obter ótimos resultados.

Crédito das imagens: soslakberendezes.blog / digitalcare / vidaesaude.tv / Gettyimages / ehowenespanol / participaction

  • #videogame

Mat�rias Relacionadas