Buscapé
BuscapéNosso sistema detectou que você está usando um navegador desatualizado

Para uma melhor experiência usando o Buscapé, aconselhamos que atualize o seu navegador para a versão mais recente.
Agradecemos desde já sua compreensão.

A onda dos Retro Games

Empresas apostam no saudosismo para agradar fãs de videogames antigos

  • Por: da Redação Buscapéda Redação Buscapé21/07/2017
  • 21/07/2017

A moda é cíclica. A frase pode parecer clichê, mas faz bastante sentido principalmente no atual momento. A busca por toca-discos de vinil, por exemplo, fez com que o mercado visse ali uma demanda reprimida por esse tipo de objeto.

E a indústria de games não ficou para trás. Diversas empresas resolveram apostar na memória que seus fãs têm dos primeiros contatos com os videogames para relançar seus consoles clássicos.

Atari Flashback 7

O Atari 2600 não é o primeiro videogame doméstico da história (cargo ocupado pelo Odissey), nem mesmo o primeiro aparelho a usar cartuchos. Mas o modelo lançado em 1977 ajudou a popularizar a brincadeira eletrônica na casa das pessoas e criar uma indústria bilionária.

Eis que 30 anos depois, o clássico console chega novamente ao mercado. Não é bem o Atari 2600, mas sim o Atari Flashback 7, fabricado aqui no Brasil pela TecToy. O Atari Flashback 7 remete ao antigo videogame, mas com algumas adaptações. Os jogos estão na memória, e não mais em cartuchos. Este modelo vem com 101 jogos instalados, incluindo o FROGGER, JUNGLE HUNT, FRONT LINE e uma versão de SPACE INVADERS.

Para tristeza dos mais saudosistas, jogos clássicos como Enduro, Pac Man e River Raid ficaram de fora por questões contratuais com a Activision, a produtora desses games. Mas, para quem quer matar a saudade dos primeiros jogos a invadirem nossas TVs de tubo, o Atari Flashback 7 é uma boa pedida.

Veja os preços

Atari Flashback 7

  • Mídias Compatíveis: Cartucho
  • Entradas para Controles: 2
  • Suporte para HDTV: Não

Novos a partir de:

R$ 229,00

Nintendo Entertainment System (NES)

Depois do sucesso (e posterior fracasso) da Atari, entra em cena uma das fabricantes mais amadas pelos jogadores do mundo todo: a Nintendo.

A Big N foi fundada em 1889 no Japão como uma fábrica de baralhos. Já na década de 1970 a empresa - que tentou de tudo, de rede de TV à macarrão instantâneo - resolveu entrar no mundo dos jogos eletrônicos lançando alguns arcades, versões domésticas do famoso Pong e o portátil Game e Watch.

Mas seu grande sucesso veio mesmo em 1983 com o lançamento do Famicon (Family Computer) no Japão, e que chegaria ao mercado ocidental em 1985 com o nome de NES (Nintendo Entertainment System).

O NES, conhecido no Brasil como Nintendinho, é considerado por muitos como o responsável por salvar a indústria dos games após o crash de 1983, vendendo cerca de 60 milhões de consoles pelo mundo todo. Também foi o responsável por nos apresentar grandes franquias, com personagens que se viriam a se tornar ícones da cultura pop, como Donkey Kong, Mario, a Lenda de Zelda, Metroid, Mega Man, Castlevania, Contra, Final Fantasy a lista é grande.

O console, que foi oficialmente descontinuado somente em 2003, acumulando incríveis 20 anos de existência, volta ao mercado na forma do NES Classic Edition, uma miniatura do hardware original.

Ele vem com 30 jogos na memória, saída HDMI e 1 controle original, cujo cabo é curto e pode atrapalhar um pouco a jogatina. Além disso, se você tem cartuchos guardados em alguma caixa por aí, não adianta se animar pois o NES Classic Edition não conta com entrada para eles. Porém a lista de jogos deve agradar a maioria dos saudosistas, incluindo títulos como Donkey Kong, Mario Bros, The Legend of Zelda, Metroid, Ninja Gaiden, Kirbys Adventure, Punch-Out entre outros

Master System Evolution

Lançado no Japão em 1986 pra competir com o NES, o Master System (lá com o nome de Sega Mark III) não se intimidou com a falta de jogos e o sucesso do rival. Mesmo não fazendo muito sucesso no Japão e nos Estados Unidos, a SEGA conseguiu uma grande aceitação na Europa, na Austrália e no Brasil, aqui sob licença da TecToy.

O console foi responsável por apresentar diversos mascotes da empresa, como Alex Kidd, e obviamente o mais famoso deles, o Sonic. A versão brasileira teve também o que provavelmente foi o primeiro jogo desenvolvido no Brasil. Mônica no Castelo do Dragão foi criado em parceria com a Mauricio de Souza produções e colocava a personagem no controle dos jogadores. Não foi bem um desenvolvimento do zero, e sim uma adaptação do Wonder Boy, mas que ainda assim fez muito sucesso por aqui.

E foi pensando nesse sucesso que a TecToy resolveu lançar o Master System Evolution. Por fora, ele não lembra em nada o Master System original. Não tem entrada para cartuchos e seus 132 jogos estão na memória. E o aclamado jogo da Mônica não faz parte da lista. O joystick também não lembra o original do Master System, sendo uma versão do Mega Drive de 6 botões. Com isso, o Master System Evolution não vem para atender os fãs mais exigentes, mas sim para quem quer apenas relembrar alguns games antigos e até mesmo compartilhar a brincadeira com os mais novos.

Veja os preços

Tectoy Master System Evolution

  • Entradas para Controles: 2
  • Suporte para HDTV: Não
  • Acessórios Inclusos: 2 Joysticks, Cabo Multi A/V

Novos a partir de:

R$ 195,00

Mega Drive

Se você acha que a guerra de consoles se resume a Sonistas x Caixistas (fãs de PlayStation contra fãs do Xbox), provavelmente você não viu o grande embate da década de 90: Mega Drive x Super Nintendo.

Para competir com o Super Nintendo, a SEGA trouxe o Mega Drive (conhecido como Sega Genesis nos Estados Unidos). Enquanto o Super Nintendo tinha mais memória RAM, mais canais de som (o que resultava em melhores efeitos sonoros), mais cores e contava com uma enorme biblioteca de jogos exclusivos, o Mega Drive tinha um processador quase três vezes mais rápido e aproveitava melhor o aspecto retangular das TVs de tubo da época.

O joystick também era outro ponto de embate: os fãs do Super Nintendo elogiam o formato até então inovador e que inspirou praticamente todos os joysticks no futuro, com os dois botões de ombro L e R na parte superior; já o pessoal do time Mega Drive celebra a agilidade proporcionada principalmente em jogos de luta.

Se nos números finais o Super Nintendo levou vantagem na batalha dos consoles de 16 bit (e abalou algumas amizades da época), o fato é que o Mega Drive teve por aqui uma grande base de fãs. Fãs estes que hoje podem matar a saudade com o relançamento do console pela Tec Toy.

Em relação aos outros videogames citados acima, o novo Mega Drive é o mais fiel ao original, tanto no design quanto nas funções. Ele possui o mesmo tamanho, o mesmo joystick e possui a entrada para cartuchos. Aceita tanto os controles antigos como quase todos os cartuchos. E a Tec Toy ainda anunciou que vai relançar um dos jogos mais queridos no seu formato original: o cartucho de Turma da Mônica na Terra dos Monstros, com direito a embalagem e etiqueta iguais às da época.

Mas se você não guardou sua coleção de cartuchos, não tem problema. Ele já vem com 22 jogos na memória e entrada para cartão SD, onde é possível instalar mais jogos. Como ponto negativo, o fato do aparelho só ter saída de vídeo composto, conexão que já começa a ser abandonada nas novas TVs.

Veja os preços

O futuro dos antigos consoles

(Sim, foi um trocadilho).

Com o sucesso de vendas dos consoles retrô, era de se esperar que a indústria de games se animasse com esta parcela do mercado ávida por recordar suas memórias afetivas da (podemos dizer um pouco distante) infância.

Com isso, mais consoles antigos já foram anunciados. O principal deles, para a alegria de inúmeros fãs (incluindo este que vos escreve) é o SNES Classic, a reedição do saudoso Super Nintendo. Ele virá com 21 jogos clássicos instalados, como Super Mario World, Super Mario Kart, The Legend of Zelda: A link to the past, F-Zero, Donkey Kong Country, e ainda virá com um jogo novo. Sim, pois é, um jogo novo, ou na verdade um jogo que não chegou a ser terminado na época: Star Fox 2.

O aparelho chega às lojas em 29 de setembro, pelo menos lá fora. Como oficialmente a Nintendo não tem representante oficial no Brasil, não temos certeza de quando o produto vai chegar por aqui, mas provavelmente ele estará disponível via lojas de importação (e esperamos, com ofertas aqui no Buscapé), assim como o NES Classic dos parágrafos anteriores.

O SNES Classic está confirmado, e segundo alguns rumores, talvez o próximo console a ser (re)lançado pela Big N é justamente o próximo da sua fila: o Nintendo 64. Isso porque a empresa japonesa fez uma série de registros com as imagens do controle do Nintendo 64. Essa informação ainda não significa nada, mas não custa sonhar (e preparar a carteira).

Já a Atari mostrou recentemente o design do seu novo videogame, o Ataribox. A companhia informou que o console vai contar com títulos clássicos e também com games novos. E só. Nenhuma outra informação.

Nosso objetivo é criar algo novo, que permaneça fiel ao nosso legado e tenha ao mesmo tempo apelo tanto para fãs antigos do Atari quanto para os novos", foi o comunicado da empresa

No fim, os retro games são uma ótima opção para relembrar os jogos que fizeram a alegria da nossa infância, e até mesmo mostrar para as novas gerações que a vida nem sempre foi esse seu save automático com vidas infinitas e tutoriais no YouTube.

Mat�rias Relacionadas