BuscapéNosso sistema detectou que você está usando um navegador desatualizado

Para uma melhor experiência usando o Buscapé, aconselhamos que atualize o seu navegador para a versão mais recente.
Agradecemos desde já sua compreensão.

Navegue logado e tenha proteção em suas compras. O Buscapé te protege em até R$ 5 mil.

Smartphone Motorola Moto X Force
Ícone de Favorito

91% Recomendam a compra
Avaliação do Especialista
Prós
  • Proteção contra trincas e estilhaçamento da tela

  • Ótimo desempenho

  • Belo conjunto de câmeras

  • Boa duração de bateria

  • Tela com ótima definição

Ler a avaliação completa
  • Ordenar por:
  • Ver histórico:
Achou caro?
Crie um alerta de preço que a gente avisa você!
Maior preço registrado:R$ 2.869,99
Menor preço registrado:R$ 1.299,00
Me avise quando o preço chegar em:
0%
0%
100%
Arraste a barra para controlar o valor do pedido
Informações Básicas
TipoSmartphone
MarcaMotorola
LinhaMoto X
ModeloForce
ChipsDual Chip
Câmera
Câmera Traseira21 Megapixels
Funções da CâmeraFilma em 4K
Câmera Frontal5.0 Megapixels Frontal
Tela
Tamanho da Tela5.4 polegadas
Tipo de TelaAMOLED
Resolução2560 x 1440 Pixels
Hardware
ProcessadorQualcomm Snapdragon 810
NúcleosOcta-Core (8 Núcleos)
Memória Interna64 GB
EntradasFone de Ouvido
Software
Sistema OperacionalAndroid
VersãoLollipop
Características e Conectividade
Internet4G
RecursosBluetooth 4.1
ProteçãoProteção Contra Trincas e Estilhaços (Moto ShatterShield)
Bateria
Bateria3760 mAh
Dimensões
Largura78 mm
Altura149,8 mm
Profundidade9,2 mm
Peso169 g
Por Colaborador em 12/11/2015
Moto X Force traz conjunto completo, e ainda é protegido contra quedas

Com nova tecnologia que impede trincas e estilhaçamento em quedas cotidianas, o novo lançamento da Motorola cumpre muito bem quatro pilares essenciais: tela, desempenho, bateria e conjunto de câmeras

Prós
  • Proteção contra trincas e estilhaçamento da tela

  • Ótimo desempenho

  • Belo conjunto de câmeras

  • Boa duração de bateria

  • Tela com ótima definição

Contras
  • Não há pontos negativos de destaque

O Moto X Force chegou ao mercado mundial no fim de outubro de 2015 como o sucessor do Moto Maxx, lançado em 2014, mas agora emprestando o nome de outra linha da marca. E, é claro, como um herdeiro digno da geração anterior, o Moto X Force traz uma configuração robusta (digna de ser o top de linha da Motorola) e uma característica impactante – a tecnologia “ShatterShield”, que protege a tela contra trincas e estilhaçamentos em eventuais quedas. Confira mais informações em nosso review.

O Moto X Force chegou ao mercado mundial no fim de outubro de 2015 como o sucessor do Moto Maxx, lançado em 2014, mas agora emprestando o nome de outra linha da marca. E, é claro, como um herdeiro digno da geração anterior, o Moto X Force traz uma configuração robusta (digna de ser o top de linha da Motorola) e uma característica impactante – a tecnologia “ShatterShield”, que protege a tela contra trincas e estilhaçamentos em eventuais quedas. Confira mais informações em nosso review.

Acabamento e tela

Na prática, o design do Moto X Force é realmente uma mistura das características da linha X da Motorola com o design do Moto Maxx. A lateral é muito similar a outros modelos recém-lançados, como o Moto X Style ou o Moto X Play. Por isso, ele vem todo metalizado com a disposição de botões e entradas sem alterações drásticas. Na direita, temos o botão Power juntamente com o controle de volume, enquanto na parte inferior do aparelho há a microUSB. Na lateral superior do Moto X Force encontramos o slot para os dois chips/cartão microSD e também a tradicional P2, como é um costume nos últimos aparelhos da marca.

Assim como nos Moto X Play e Style e também no Moto G da 3ª geração, o serviço Moto Maker também está presente no novo top de linha da marca. No próprio site da Motorola, o usuário consegue fazer uma customização no Moto X Force antes de comprá-lo. As opções de alteração são bem diversas e vão desde detalhes na traseira (como o metal que envolve a câmera) até o material escolhido para a parte de trás do smartphone. É aqui, aliás, que temos um diferencial que já estava presente na geração anterior, com o Moto Maxx. O nylon balístico, uma dessas opções, deixa o aparelho esteticamente mais sóbrio (em contraposição ao design mais moderno dos acabamentos de borracha), mas é inegável que ele deixa menos marcas que as traseiras emborrachadas. Este material, aliás, também está disponível no Moto Maker, assim como a traseira de couro.

Mesmo que o modelo tenha 5.4 polegadas (menor que o Moto X Style, que possui tela de 5.7 polegadas), o Moto X Force ainda é um modelo indicado para quem gosta de smartphones grandes e um pouco mais robustos. Suas medidas comprovam tal análise – temos 14,98 cm de altura por 7,8 cm de largura. Já a espessura varia conforme a curvatura da traseira, que vai de 0,76 cm até 0,92 cm. Seu peso é de 169 gramas, o que não incomoda durante o uso.

Mesmo não sendo à prova d’água como o Moto G da 3ª geração, o Moto X Force ainda possui um revestimento que o protege contra respingos d’água.

A grande novidade no Moto X Force é a tecnologia implantada no display do aparelho, que possui resistência contra estilhaçamento. O Sistema ShatterShield, uma tecnologia exclusivamente desenvolvida pela Motorola, é a grande aposta da fabricante em seu mais novo smartphone.

Logo no lançamento do aparelho, pudemos ver a eficácia da nova proteção. O Moto X Force foi solto de uma altura de aproximadamente 1 metro e meio por cerca de 50 vezes em um piso de porcelanato. Em todas elas o smartphone saiu ileso, sem arranhões ou pequenos riscos na tela. E vale destacar que o modelo foi solto de diversos ângulos, seja com o display virado para baixo ou até mesmo com uma de suas quinas direcionadas para o chão.

Mas há um detalhe: mesmo que a Motorola ofereça 4 anos de garantia em caso de estilhaçamento ou trincas na tela, o Moto X Force não está isento de danos estéticos. A ideia aqui é proteger a tela, o que não impede que pequenos arranhões surjam na lateral do aparelho.

Com 5.4 polegadas e resolução Quad HD (2560 x 1440 pixels), a tela do Moto X Force não deixa a desejar em relação aos outros aparelhos da linha X da Motorola. Em tamanho e resolução, o modelo é muito próximo à versão Style, mas possui um diferencial – a tecnologia AMOLED do display, que é melhor se comparado ao display LCD TFT utilizado na outra linha.

A superioridade da tela é inegável. A cor preta, por exemplo, é a grande referência de qualidade. Nas telas de LCD, ela aparece um pouco acinzentada por conta da própria tecnologia. No caso do display AMOLED, cada pixel possui luz própria, ou seja, quando exibimos uma cena sem muita iluminação, por exemplo, o pixel fica totalmente apagado, o que auxilia a reproduzir um tom escuro com mais naturalidade.

Por isso, testamos o Moto X Force com diferentes tipos de reprodução. Tanto com filmes de ação (que exigem mais de aspectos como brilho) quanto em animações (que atestam condições de contraste e cor), o aparelho da Motorola se saiu muito bem, com ótima experiência. Aliado a isso, temos o bom tamanho de tela do smartphone. Portanto, caso você queira navegar cotidianamente por redes sociais mas também quer exibir alguma série ou filme, o mais novo lançamento da Motorola se sairá muito bem e não te deixará na mão.

O único ponto que poderia ser dispensado é a questão da resolução. Alguns aparelhos tops de linha estão adotando o Quad HD como referência em seus displays (como já vimos inclusive no Moto X Style), mas, na prática, as diferenças visuais são mínimas em relação ao full HD. Portanto, a Motorola poderia ter trazido um display “mais básico” (entre muitas aspas), manter um alto padrão de qualidade e ainda baratear um pouco mais o seu modelo.

Na prática, o design do Moto X Force é realmente uma mistura das características da linha X da Motorola com o design do Moto Maxx. A lateral é muito similar a outros modelos recém-lançados, como o Moto X Style ou o Moto X Play. Por isso, ele vem todo metalizado com a disposição de botões e entradas sem alterações drásticas. Na direita, temos o botão Power juntamente com o controle de volume, enquanto na parte inferior do aparelho há a microUSB. Na lateral superior do Moto X Force encontramos o slot para os dois chips/cartão microSD e também a tradicional P2, como é um costume nos últimos aparelhos da marca.

Assim como nos Moto X Play e Style e também no Moto G da 3ª geração, o serviço Moto Maker também está presente no novo top de linha da marca. No próprio site da Motorola, o usuário consegue fazer uma customização no Moto X Force antes de comprá-lo. As opções de alteração são bem diversas e vão desde detalhes na traseira (como o metal que envolve a câmera) até o material escolhido para a parte de trás do smartphone. É aqui, aliás, que temos um diferencial que já estava presente na geração anterior, com o Moto Maxx. O nylon balístico, uma dessas opções, deixa o aparelho esteticamente mais sóbrio (em contraposição ao design mais moderno dos acabamentos de borracha), mas é inegável que ele deixa menos marcas que as traseiras emborrachadas. Este material, aliás, também está disponível no Moto Maker, assim como a traseira de couro.

Mesmo que o modelo tenha 5.4 polegadas (menor que o Moto X Style, que possui tela de 5.7 polegadas), o Moto X Force ainda é um modelo indicado para quem gosta de smartphones grandes e um pouco mais robustos. Suas medidas comprovam tal análise – temos 14,98 cm de altura por 7,8 cm de largura. Já a espessura varia conforme a curvatura da traseira, que vai de 0,76 cm até 0,92 cm. Seu peso é de 169 gramas, o que não incomoda durante o uso.

Mesmo não sendo à prova d’água como o Moto G da 3ª geração, o Moto X Force ainda possui um revestimento que o protege contra respingos d’água.

A grande novidade no Moto X Force é a tecnologia implantada no display do aparelho, que possui resistência contra estilhaçamento. O Sistema ShatterShield, uma tecnologia exclusivamente desenvolvida pela Motorola, é a grande aposta da fabricante em seu mais novo smartphone.

Logo no lançamento do aparelho, pudemos ver a eficácia da nova proteção. O Moto X Force foi solto de uma altura de aproximadamente 1 metro e meio por cerca de 50 vezes em um piso de porcelanato. Em todas elas o smartphone saiu ileso, sem arranhões ou pequenos riscos na tela. E vale destacar que o modelo foi solto de diversos ângulos, seja com o display virado para baixo ou até mesmo com uma de suas quinas direcionadas para o chão.

Mas há um detalhe: mesmo que a Motorola ofereça 4 anos de garantia em caso de estilhaçamento ou trincas na tela, o Moto X Force não está isento de danos estéticos. A ideia aqui é proteger a tela, o que não impede que pequenos arranhões surjam na lateral do aparelho.

Com 5.4 polegadas e resolução Quad HD (2560 x 1440 pixels), a tela do Moto X Force não deixa a desejar em relação aos outros aparelhos da linha X da Motorola. Em tamanho e resolução, o modelo é muito próximo à versão Style, mas possui um diferencial – a tecnologia AMOLED do display, que é melhor se comparado ao display LCD TFT utilizado na outra linha.

A superioridade da tela é inegável. A cor preta, por exemplo, é a grande referência de qualidade. Nas telas de LCD, ela aparece um pouco acinzentada por conta da própria tecnologia. No caso do display AMOLED, cada pixel possui luz própria, ou seja, quando exibimos uma cena sem muita iluminação, por exemplo, o pixel fica totalmente apagado, o que auxilia a reproduzir um tom escuro com mais naturalidade.

Por isso, testamos o Moto X Force com diferentes tipos de reprodução. Tanto com filmes de ação (que exigem mais de aspectos como brilho) quanto em animações (que atestam condições de contraste e cor), o aparelho da Motorola se saiu muito bem, com ótima experiência. Aliado a isso, temos o bom tamanho de tela do smartphone. Portanto, caso você queira navegar cotidianamente por redes sociais mas também quer exibir alguma série ou filme, o mais novo lançamento da Motorola se sairá muito bem e não te deixará na mão.

O único ponto que poderia ser dispensado é a questão da resolução. Alguns aparelhos tops de linha estão adotando o Quad HD como referência em seus displays (como já vimos inclusive no Moto X Style), mas, na prática, as diferenças visuais são mínimas em relação ao full HD. Portanto, a Motorola poderia ter trazido um display “mais básico” (entre muitas aspas), manter um alto padrão de qualidade e ainda baratear um pouco mais o seu modelo.

Hardware, conectividade e recursos

Como uma clara evolução do Moto Maxx, que já era o top de linha da geração anterior da Motorola, o lançamento também traz um conjunto de ponta, capaz de rodar qualquer aplicação de nenhum problema. Para isso, ele conta com um processador octa-core Qualcomm Snapdragon 810 (sendo um quad-core de 2.0 GHz e outro com 1.5 GHz), 3 GB de memória RAM e GPU Adreno 430. Vale ressaltar que, ao contrário do que vem surgindo em outros aparelhos, o Snapdragon 810 não demonstrou casos de superaquecimento e operou em uma temperatura razoável. A versão instalada do Android é 5.1.1, conhecida como Lollipop. No geral, o sistema operacional no Moto X Force segue o padrão visto em modelos anteriores. A Motorola não se preocupou em aplicar muitas modificações no Android e trouxe o básico para o usuário, em uma interface praticamente isenta de alterações. É claro, alguns apps estão presentes, como o Motorola Connect, mas nada que interfira na usabilidade do usuário. A fluidez, assim como o resto do aparelho, é impecável e tudo indica que o modelo também trará a nova versão do Android, conhecida como Marshmallow. Como dito, o Moto X Force é um modelo premium da Motorola. E, apesar de todo alarde em torno da tela indestrutível trazida pela fabricante, ele ainda traz um desempenho impecável nas mais diferentes tarefas. Rodar jogos com boa fluidez ou abrir diversas tarefas em segundo plano sem perder desempenho são tarefas naturais para o Moto X Force. Para testar, rodamos jogos consideravelmente bem exigentes no aspecto gráfico. Primeiramente, realizamos uma bateria de testes com o game Real Racing 3 e o Asphalt 8, que são bons indicativos da fluidez que um game necessita para rodar nesses aparelhos. Por aqui, tudo rodou sem dificuldades. Na sequência, rodamos o Mortal Kombat X, que nos fornece bons parâmetros na parte gráfica e no nível de detalhes no cenário e nas roupas dos personagens. A qualidade das imagens também foi bem impressionante e digna de um aparelho de ponta. Após essa primeira sequência de avaliação, rodamos alguns aplicativos mais comuns, cenário no qual o Moto X Force também se saiu sem dificuldade alguma. Como de costume, rodamos ainda alguns benchmarks, que são softwares capazes de fazer uma análise absoluta do sistema. O que eles fazem, na prática, é criar uma série de testes próprios e, com isso, ranquear os aparelhos conforme o desempenho de cada um deles nesses testes. Nesse caso, rodamos o 3D Mark, o Antutu e o Quadrant. O primeiro busca principalmente avaliar a capacidade gráfica do smartphone seguindo três parâmetros de intensidade, que são denominados (em grau crescente de exigência) Ice Storm, Ice Storm Extreme e Ice Storm Unlimited. Nos dois primeiros, o software julgou que o aparelho era potente demais para aquele determinado cenário. Só apenas na bateria de testes mais intensos é que o Moto X Force atingiu 25241 pontos, uma marca impressionante. Já no Antutu e no Quadrant, a proposta é diferente. Aqui, a ideia é fazer uma análise geral do aparelho, avaliando vários aspectos de uso. Nesses casos, o lançamento da Motorola obteve, respectivamente, 50011 e 31066 pontos, o que também são pontuações imponentes. Memória interna certamente não é um problema no Moto X Force. Com 64 GB de armazenamento, o espaço disponibilizado pela Motorola é suficiente para aguentar uma boa quantidade de arquivos sem dificuldades. Mas caso você queira mais GBs para armazenamento, é possível inserir um cartão de memória de até 2 TB na parte superior do modelo. Mas vale avisar: o modelo não suporta dois chips e o cartão SD simultaneamente, já que o slot para o segundo chip é o mesmo destinado ao cartão. Na conectividade, o aparelho também traz uma configuração digna de um top de linha. Por isso, conta com NFC, GPS (A-GPS), Wi-Fi padrão 802.11 a/b/g/n/ac, Bluetooth 4.1 e o já mencionado suporte a dois chips de telefonia. Em relação aos recursos, o Moto X Force traz basicamente o mesmo já presente na geração anterior e que se manteve no Moto X Style. Vamos a eles: Moto Voz: o recurso basicamente remete aos comandos de voz inteligentes da Motorola, que chegaram no Moto X da 2ª geração. Para configurá-los, é necessário acessar seu aplicativo (chamado de "Moto") no próprio menu do aparelho. Após isso, basta gravar uma frase que será utilizada para ativar o Moto Voz. Depois, é só chamar um certo comando, como "qual é a previsão do tempo no Rio de Janeiro?". Na maioria das vezes, o recurso é bem preciso, mas não é algo tão indispensável durante o cotidiano. Moto Tela: particularmente, acho esse um dos recursos mais práticos no Moto X Force. Como o modelo possui sensores em sua parte frontal, o aparelho identifica quando há algum movimento sobre a tela para mostrar ao usuário algumas notificações. Por exemplo, caso tenha alguma solicitação no Facebook, o modelo irá mostrar o ícone da rede social assim que você passar a mão sobre o display. Para verificar o conteúdo da notificação, basta dar um toque no ícone que o Moto X Force te trará breves detalhes sobre o aviso. Moto Assist: o recurso é a aposta da Motorola para auxiliar o usuário durante o cotidiano. Aqui, a proposta é configurar certo comportamento do Moto X Force de acordo com a situação real de seu dono, ou seja, quando você estiver dirigindo, o aparelho irá reproduzir todas as mensagens que receber, além criar uma resposta automática para todos aqueles que entrarem em contato com o usuário. Mas não é apenas isso, já que o modelo conta com quatro cenários básicos de comportamento: trabalho, dirigindo, reunião e dormindo, mas, é claro, o usuário também pode criar alguns perfis customizados. Moto Ações: aqui, a ideia é a acessar alguns recursos e funções apenas com gestos. Ao girar o pulso rapidamente duas vezes, a câmera será ativada. Já para acender a lanterna traseira, basta agitar o Moto X Force duas vezes para frente com o display virado para a direita ou para a esquerda.

Câmeras, áudio e bateria

O conjunto de câmeras do Moto X Force forma outro pilar bem sólido, assim como já pode ser visto no Moto X Style. A câmera traseira traz 21 MP e filma em 4K (30 fps) ou em full HD com até 60 fps. Além disso, a principal também traz abertura de f/2.0 e flash LED duplo, que visa distribuir melhor as cores. No aspecto técnico, o conjunto pouco se difere do Moto X Style e, por isso, segue o ótimo padrão visto no último lançamento.

Por isso, as fotos e vídeos em ambientes abertos e bem iluminados trazem muita qualidade, enquanto em locais com pouca luz as fotos também não deixam a desejar. Claro, o nível de qualidade não é espetacular e digno de suspiros, mas o suficiente para registrar uma boa fotografia. Os vídeos também seguem um bom parâmetro de qualidade. Já que a câmera possui estabilizador óptico, os resultados ficam interessantes e acima da média para smartphones.

Outra característica presente no Moto X Force é o flash LED ao lado da câmera frontal, que já havia sido colocado no X Style. A secundária, aliás, também possui abertura de f/2.0, mas conta com 5 MP, além de uma lente grande angular. Os resultados são bem honestos. Com bons níveis de luz, as fotos ficam bem agradáveis. Com pouca luz, os resultados são mais limitados.

Já o software da câmera não sofreu alterações. Quem já teve um smartphone da Motorola nos últimos anos não sentirá diferenças no novo lançamento. As opções de alterações continuam na parte esquerda e são bem intuitivas. Além do HDR, o modelo oferece a opção para fotos panorâmicas, além da nivelação de luminosidade e de foco. Mas caso você não queira se aventurar nas opções, o modo automático é bem simples e suficiente para fotos casuais.

Pode-se dizer que o áudio é um quesito um tanto quanto decepcionante no Moto X Force, principalmente se compararmos com o X Style, que contava com dois alto-falantes localizados na parte frontal. No novo lançamento, a Motorola colocou apenas um alto-falante mono, que se encontra na parte de baixo. O ponto positivo é que é bem difícil abafar o som com as mãos, mas, por outro lado, a experiência é bem distinta da proporcionada pelo X Style. Não se pode dizer que ela é ruim, mas também deixa um pouco a desejar principalmente rodando algumas músicas e filmes.

Junto ao modelo, também está disponível um fone de ouvido. O design e estilo do acessório são os mesmos de outros lançamentos da marca, o que é uma pena, já que fone de ouvido está um pouco longe de acompanhar o aspecto premium geral do modelo. Além de ser desconfortável, ele não traz uma ótima qualidade de áudio, além de não isolar o barulho externo com maestria.

O protagonista do Moto Maxx também deu as caras em sua nova versão. Com 3760 mAh, o modelo oferece uma duração de bateria consistente. Mesmo com a amperagem diminuída (já que o Moto Maxx possuía 3900 mAh), a experiência é basicamente a mesma.

Retiramos o aparelho da tomada pela manhã e realizamos uma série de tarefas. Na primeira bateria de testes, tiramos 10 fotos e fizemos um pequeno vídeo de 5 minutos. Após isso, visualizamos os resultados por 15 minutos. Em seguida, navegamos por redes sociais por cerca de 3 horas, fizemos ligações por mais 30 minutos, rodamos por GPS por meia hora e jogamos por mais 20 minutos. Para finalizar, exibimos vídeos no YouTube por 10 minutos e ouvimos algumas músicas por mais 1 hora. Ao fim do período, restavam 41% de bateria, uma marca impressionante, até considerando a alta intensidade do teste. Portanto, mesmo sendo um usuário mais exigente, o Moto X Force certamente não te deixará na mão ao longo do dia.

Um detalhe interessante a ser mencionado é a questão da recarga. Como já visto no Moto X Style, o modelo não traz um cabo USB incluso ao carregador, como é tradicionalmente visto em muitos smartphones. Aqui, a Motorola desenvolveu um método próprio de otimização do tempo de recarga. O carregador oferece maior amperagem ao aparelho, o que realmente auxilia a carregar o aparelho mais rapidamente.

O conjunto de câmeras do Moto X Force forma outro pilar bem sólido, assim como já pode ser visto no Moto X Style. A câmera traseira traz 21 MP e filma em 4K (30 fps) ou em full HD com até 60 fps. Além disso, a principal também traz abertura de f/2.0 e flash LED duplo, que visa distribuir melhor as cores. No aspecto técnico, o conjunto pouco se difere do Moto X Style e, por isso, segue o ótimo padrão visto no último lançamento.

Por isso, as fotos e vídeos em ambientes abertos e bem iluminados trazem muita qualidade, enquanto em locais com pouca luz as fotos também não deixam a desejar. Claro, o nível de qualidade não é espetacular e digno de suspiros, mas o suficiente para registrar uma boa fotografia. Os vídeos também seguem um bom parâmetro de qualidade. Já que a câmera possui estabilizador óptico, os resultados ficam interessantes e acima da média para smartphones.

Outra característica presente no Moto X Force é o flash LED ao lado da câmera frontal, que já havia sido colocado no X Style. A secundária, aliás, também possui abertura de f/2.0, mas conta com 5 MP, além de uma lente grande angular. Os resultados são bem honestos. Com bons níveis de luz, as fotos ficam bem agradáveis. Com pouca luz, os resultados são mais limitados.

Já o software da câmera não sofreu alterações. Quem já teve um smartphone da Motorola nos últimos anos não sentirá diferenças no novo lançamento. As opções de alterações continuam na parte esquerda e são bem intuitivas. Além do HDR, o modelo oferece a opção para fotos panorâmicas, além da nivelação de luminosidade e de foco. Mas caso você não queira se aventurar nas opções, o modo automático é bem simples e suficiente para fotos casuais.

Pode-se dizer que o áudio é um quesito um tanto quanto decepcionante no Moto X Force, principalmente se compararmos com o X Style, que contava com dois alto-falantes localizados na parte frontal. No novo lançamento, a Motorola colocou apenas um alto-falante mono, que se encontra na parte de baixo. O ponto positivo é que é bem difícil abafar o som com as mãos, mas, por outro lado, a experiência é bem distinta da proporcionada pelo X Style. Não se pode dizer que ela é ruim, mas também deixa um pouco a desejar principalmente rodando algumas músicas e filmes.

Junto ao modelo, também está disponível um fone de ouvido. O design e estilo do acessório são os mesmos de outros lançamentos da marca, o que é uma pena, já que fone de ouvido está um pouco longe de acompanhar o aspecto premium geral do modelo. Além de ser desconfortável, ele não traz uma ótima qualidade de áudio, além de não isolar o barulho externo com maestria.

O protagonista do Moto Maxx também deu as caras em sua nova versão. Com 3760 mAh, o modelo oferece uma duração de bateria consistente. Mesmo com a amperagem diminuída (já que o Moto Maxx possuía 3900 mAh), a experiência é basicamente a mesma.

Retiramos o aparelho da tomada pela manhã e realizamos uma série de tarefas. Na primeira bateria de testes, tiramos 10 fotos e fizemos um pequeno vídeo de 5 minutos. Após isso, visualizamos os resultados por 15 minutos. Em seguida, navegamos por redes sociais por cerca de 3 horas, fizemos ligações por mais 30 minutos, rodamos por GPS por meia hora e jogamos por mais 20 minutos. Para finalizar, exibimos vídeos no YouTube por 10 minutos e ouvimos algumas músicas por mais 1 hora. Ao fim do período, restavam 41% de bateria, uma marca impressionante, até considerando a alta intensidade do teste. Portanto, mesmo sendo um usuário mais exigente, o Moto X Force certamente não te deixará na mão ao longo do dia.

Um detalhe interessante a ser mencionado é a questão da recarga. Como já visto no Moto X Style, o modelo não traz um cabo USB incluso ao carregador, como é tradicionalmente visto em muitos smartphones. Aqui, a Motorola desenvolveu um método próprio de otimização do tempo de recarga. O carregador oferece maior amperagem ao aparelho, o que realmente auxilia a carregar o aparelho mais rapidamente.

Conclusão

Basicamente, o Moto X Force é o Moto X Style com a proteção ShatterShield e com melhor duração de bateria. Mas não se engane com a simplicidade dessa frase, pois isso não minimiza a sua importância no mercado atual. A Motorola realmente deu um grande passo ao colocar a tecnologia de proteção em seu display (que, aliás, funciona muito bem), ainda que ela traga algum custo a mais ao aparelho.

Além dessa novidade, o Moto X Force não traz muitas novidades em relação ao X Style. Mesmo com um processador ligeiramente melhor, o desempenho é basicamente o mesmo, assim como a experiência com a tela de resolução Quad HD. A duração de bateria, por outro lado, segue o padrão do seu antecessor, o Moto Maxx, o que confere um bom tempo de uso fora das tomadas.

 

Em um mercado no qual muitos modelos pecam em alguns aspectos importantes, possuir um smartphone que consiga a atender a quatro pilares essenciais na categoria (bateria, desempenho, tela e conjunto de câmeras) é algo que, no mínimo, deve ser exaltado.

Matérias Relacionadas
Android ou iPhone: vale a pena trocar de celular?
Motorola lança Moto Z2 Play no Brasil
Conheça a Lenovo e seus melhores celulares
Os smartphones com melhor duração de bateria
10/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
Verificado
10/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
Avaliação Geral91%Recomendam a compra
8/10Baseado em 37 avaliações
Aspectos Positivos
  • Câmera
  • Funções e Características
  • Display
  • Durabilidade
  • Facilidade de Uso
  • Duração da Bateria
  • Design
Pontos de Atenção
  • Custo-Benefício
Enviar sua Avaliação