BuscapéNosso sistema detectou que você está usando um navegador desatualizado

Para uma melhor experiência usando o Buscapé, aconselhamos que atualize o seu navegador para a versão mais recente.
Agradecemos desde já sua compreensão.

Navegue logado e tenha proteção em suas compras. O Buscapé te protege em até R$ 5 mil.

Smartphone Motorola Moto G 3ª Geração XT1543 8GB
Ícone de Favorito

89% Recomendam a compra

Produto Indisponível

Avise-me quando chegar
Avaliação do Especialista
Prós
  • Todas as versões suportam 4G nos dois slots

  • Bom desempenho e é a prova d’água

  • Moto Maker chegou ao Brasil

  • Bateria duradoura

  • Design agradável

Ler a avaliação completa
  • Ver histórico:
Achou caro?
Crie um alerta de preço que a gente avisa você!
Maior preço registrado:R$ 1.099,00
Menor preço registrado:R$ ,
Me avise quando o preço chegar em:
0%
0%
100%
Arraste a barra para controlar o valor do pedido
Informações Básicas
TipoSmartphone
MarcaMotorola
LinhaMoto G
Modelo3ª Geração XT1543 8GB
ChipsDual Chip
Câmera
Câmera Traseira13.0 Megapixels
Funções da CâmeraFilma em Full HD
Câmera Frontal5.0 Megapixels Frontal
Tela
Tamanho da Tela5.0 polegadas
Tipo de TelaHD
Resolução1280 X 720 Pixels
Hardware
ProcessadorQualcomm Snapdragon 410
NúcleosQuad-Core (4 Núcleos)
Velocidade do Processador1.4 GHz
Memória Interna8 GB
Memória RAM1 GB RAM
EntradasFone de Ouvido
Software
Sistema OperacionalAndroid
VersãoLollipop
Características e Conectividade
Internet4G
RecursosBluetooth 4.0
ProteçãoResistente à Água
Bateria
Bateria2470 mAh
Dimensões
Largura72,4 mm
Altura142,1 mm
Profundidade11,6 mm
Peso155 g
Por Colaborador em 10/08/2015
Para continuar ganhando, Motorola aposta em mudanças pontuais na 3ª Geração do Moto G

Com design repaginado, bateria com boa duração, suporte 4G em todas as versões e ótimo desempenho são alguns dos maiores pontos do Moto G

Prós
  • Todas as versões suportam 4G nos dois slots

  • Bom desempenho e é a prova d’água

  • Moto Maker chegou ao Brasil

  • Bateria duradoura

  • Design agradável

Contras
  • Conta com apenas 8 GB de memória interna

  • Câmera lenta decepciona

A Motorola decidiu mudar o visual do seu popstar. É claro que estamos falando do Moto G. A terceira geração do smartphone sofreu mudanças pontuais no design, agora todas as versões são dual chip e 4G, todos também são a prova d’água e finalmente o Moto Maker chegou ao Brasil. E o que é isso? É o programa virtual que a Motorola recentemente disponibilizou no Brasil para que você construa o seu próprio Moto G, colocando frase, mudando a capa, alterando a memória RAM e etc. Resumindo: você pode montar o seu próprio Moto G, de qualquer forma.

A Motorola decidiu mudar o visual do seu popstar. É claro que estamos falando do Moto G. A terceira geração do smartphone sofreu mudanças pontuais no design, agora todas as versões são dual chip e 4G, todos também são a prova d’água e finalmente o Moto Maker chegou ao Brasil. E o que é isso? É o programa virtual que a Motorola recentemente disponibilizou no Brasil para que você construa o seu próprio Moto G, colocando frase, mudando a capa, alterando a memória RAM e etc. Resumindo: você pode montar o seu próprio Moto G, de qualquer forma.

Tela, design e a prova d?água

Uma das poucas características sem alteração foi a tela. Na segunda e na terceira geração a tela é de IPS de 5 polegadas com resolução HD (1280 x 720 pixels) e densidade de 294 pontos, ou seja, o display continua com imagens satisfatórias e com um bom ângulo de visão. Entretanto a tela reflete bastante, prejudicando a visibilidade. A tela ainda conta com a proteção Gorilla Glass 3.

Não se preocupe também com o teclado virtual, que é bastante espaçoso. Para quem gosta, o Swype, aquele recurso de deslizar nas letras para formar as palavras, também está presente.

O design foi o que mais mudou, começando pela espessura, que varia entre 6,1 e 11,6 milímetros. “Varia” porque o Moto G possui uma traseira curva, o que garante uma ótima ergonomia. O Moto G de 3ª geração possui um bom acabamento com bordas feitas de plástico e arredondadas e as capinhas texturizadas dão uma pegada ainda melhor que no modelo anterior.

No mais é basicamente o mesmo. O P2 e o microfone ficam na parte superior, liga/desliga e controle de volume do lado direito, microUSB na parte inferior, a câmera de 13 MP e o flash duplo na traseira.  Já na parte frontal, encontramos a câmera frontal de 5 MP e os altos falantes, destinados para ligação e também para o som. A tampa traseira pode ser removida e você pode acessar aos slots para os chips e cartão microSD.

 

Foi se o tempo que os smartphones levavam uma chuvinha e paravam de funcionar. A Motorola resolveu entrar na onda e fazer o Moto G 2ª geração com a tecnologia a prova d’água, mas apenas contra respingos. Mas na 3ª geração do aparelho, a Motorola incluiu a certificação IPX7, que permite ao aparelho ficar embaixo d’água por até 30 minutos em um metro de profundidade.

Uma das poucas características sem alteração foi a tela. Na segunda e na terceira geração a tela é de IPS de 5 polegadas com resolução HD (1280 x 720 pixels) e densidade de 294 pontos, ou seja, o display continua com imagens satisfatórias e com um bom ângulo de visão. Entretanto a tela reflete bastante, prejudicando a visibilidade. A tela ainda conta com a proteção Gorilla Glass 3.

Não se preocupe também com o teclado virtual, que é bastante espaçoso. Para quem gosta, o Swype, aquele recurso de deslizar nas letras para formar as palavras, também está presente.

O design foi o que mais mudou, começando pela espessura, que varia entre 6,1 e 11,6 milímetros. “Varia” porque o Moto G possui uma traseira curva, o que garante uma ótima ergonomia. O Moto G de 3ª geração possui um bom acabamento com bordas feitas de plástico e arredondadas e as capinhas texturizadas dão uma pegada ainda melhor que no modelo anterior.

No mais é basicamente o mesmo. O P2 e o microfone ficam na parte superior, liga/desliga e controle de volume do lado direito, microUSB na parte inferior, a câmera de 13 MP e o flash duplo na traseira.  Já na parte frontal, encontramos a câmera frontal de 5 MP e os altos falantes, destinados para ligação e também para o som. A tampa traseira pode ser removida e você pode acessar aos slots para os chips e cartão microSD.

 

Foi se o tempo que os smartphones levavam uma chuvinha e paravam de funcionar. A Motorola resolveu entrar na onda e fazer o Moto G 2ª geração com a tecnologia a prova d’água, mas apenas contra respingos. Mas na 3ª geração do aparelho, a Motorola incluiu a certificação IPX7, que permite ao aparelho ficar embaixo d’água por até 30 minutos em um metro de profundidade.

Especificações técnicas, armazenamento e recursos

Por dentro também houve modificações. Agora o Moto G de 3ª geração conta com um processador 64-bit quad-core Qualcomm Snapdragon 410 de 1.4 GHz, 1 GB de RAM e GPU Adreno 306. O Moto G também vem com o Android Lollipop 5.1.1. Segundo a Motorola o Android é praticamente puro, apenas o recurso Assist que é próprio da Motorola.  O Moto G suporta 4G nos dois slots de chip. Além disso, o aparelho conta com Wi-Fi, Bluetooth 4.0 e GPS.

Esse modelo, como dissemos, possui 1 GB de RAM e 8 GB de armazenamento interno, ou seja, não dá para instalar tantos programas assim, mas é possível expandir a memória interna por meio de um cartão MicroSD de até 32 GB.

Como dissemos lá no primeiro tópico, a Motorola deu continuidade ao Moto Assist. Sim, aquele assistente da Motorola que impede que você seja incomodado durante o sono, ou numa reunião, ou em qualquer lugar.

Outro recurso interessante é a Moto Tela, que já estava embarcada na Moto X. Com ela você pode escolher se quer ver as notificações diretamente ou quer apenas desbloquear a tela.

Por dentro também houve modificações. Agora o Moto G de 3ª geração conta com um processador 64-bit quad-core Qualcomm Snapdragon 410 de 1.4 GHz, 1 GB de RAM e GPU Adreno 306. O Moto G também vem com o Android Lollipop 5.1.1. Segundo a Motorola o Android é praticamente puro, apenas o recurso Assist que é próprio da Motorola.  O Moto G suporta 4G nos dois slots de chip. Além disso, o aparelho conta com Wi-Fi, Bluetooth 4.0 e GPS.

Esse modelo, como dissemos, possui 1 GB de RAM e 8 GB de armazenamento interno, ou seja, não dá para instalar tantos programas assim, mas é possível expandir a memória interna por meio de um cartão MicroSD de até 32 GB.

Como dissemos lá no primeiro tópico, a Motorola deu continuidade ao Moto Assist. Sim, aquele assistente da Motorola que impede que você seja incomodado durante o sono, ou numa reunião, ou em qualquer lugar.

Outro recurso interessante é a Moto Tela, que já estava embarcada na Moto X. Com ela você pode escolher se quer ver as notificações diretamente ou quer apenas desbloquear a tela.

Desempenho, câmera e bateria

A performance do Moto G é aquilo que esperávamos. Não é problema para o processador de 1.4 GHz transitar entre telas, abrir e fechar aplicativos, a experiência foi bastante fluída e o aparelho não apresentou maiores problemas. Entretanto é recomendável que todos os apps sejam fechados antes de jogar ou abrir outros aplicativos mais pesados. Isso ocorre porque 1 GB de RAM não é o ideal para que o Moto G aguente tantos aplicativos abertos ao mesmo tempo.

Se você é daqueles viciados em games, não se preocupe, o Moto G vai te acompanhar tanto em jogos mais leves, como Jetpack e Subway Surfers, quanto em mais pesados, como Real Racing 3 e Modern Combat 5). Tudo foi muito bem. Mas, vale dizer novamente, para uma experiência completa e sem estresse, é recomendável fechar todos os aplicativos antes.

A câmera do Moto G sofreu uma leve melhora da 2ª geração. Agora a câmera conta com um sensor de 13 MP, enquanto a do modelo antigo era de 8 MP, e a ótima qualidade da foto continua a mesma. Apenas é notável que desta vez a Motorola priorizou o equilíbrio de cores, enquanto no Moto G 2ª Geração as cores eram bem mais vivas e claras.

Quando o ambiente é bem iluminado as fotos saem bem legais, mas em ambientes com menos luz é necessário usar o flash – agora duplo – para que a foto tenha uma qualidade aceitável. Nos recursos, a câmera oferece cliques com HDR, modo noturno – que não é tão bom assim - , controle de foco e exposição, temporizador, fotos sequenciais e panorama.

Em vídeos a câmera traseira do Moto G também se sai bem – se estiver na velocidade normal. A gravação é feita em Full HD e a qualidade é bastante semelhante a das fotos. Mas na câmera lenta o resultado é bastante ruim, com lags bem visíveis e, nesse modo, a gravação é em HD.

Agora falando da câmera frontal, que conta com 5 Megapixels, a Motorola igualou mais a qualidade entre as duas câmeras do aparelho. Quando bem iluminado, a foto é muito boa, mas caso não haja luz o resultado cai bastante. A câmera lenta da frontal é ainda pior que a da traseira, então nem pense em tentar algo nesse modo.

A bateria do Moto G agora conta com 2470 mAh (80 mAh a mais que a 2ª geração). Para atestar a eficiência da bateria fizemos nosso teste padrão: 5 minutos de gravação de vídeo, 10 fotos, mais 15 minutos de visualização de fotos e vídeos, 20 minutos de jogos, mais 30 de GPS, outros 30 de ligação e mais 3 horas de navegação na internet.

Começando o teste às 9 da manhã e finalizando às 6 da tarde, o Moto G ainda estava com 40%. Um resultado bem acima da média para um smartphone intermediário. Segundo o teste, o usuário poderá usar o telefone o dia todo que não precisará dar uma recarga no meio do dia.

A performance do Moto G é aquilo que esperávamos. Não é problema para o processador de 1.4 GHz transitar entre telas, abrir e fechar aplicativos, a experiência foi bastante fluída e o aparelho não apresentou maiores problemas. Entretanto é recomendável que todos os apps sejam fechados antes de jogar ou abrir outros aplicativos mais pesados. Isso ocorre porque 1 GB de RAM não é o ideal para que o Moto G aguente tantos aplicativos abertos ao mesmo tempo.

Se você é daqueles viciados em games, não se preocupe, o Moto G vai te acompanhar tanto em jogos mais leves, como Jetpack e Subway Surfers, quanto em mais pesados, como Real Racing 3 e Modern Combat 5). Tudo foi muito bem. Mas, vale dizer novamente, para uma experiência completa e sem estresse, é recomendável fechar todos os aplicativos antes.

A câmera do Moto G sofreu uma leve melhora da 2ª geração. Agora a câmera conta com um sensor de 13 MP, enquanto a do modelo antigo era de 8 MP, e a ótima qualidade da foto continua a mesma. Apenas é notável que desta vez a Motorola priorizou o equilíbrio de cores, enquanto no Moto G 2ª Geração as cores eram bem mais vivas e claras.

Quando o ambiente é bem iluminado as fotos saem bem legais, mas em ambientes com menos luz é necessário usar o flash – agora duplo – para que a foto tenha uma qualidade aceitável. Nos recursos, a câmera oferece cliques com HDR, modo noturno – que não é tão bom assim - , controle de foco e exposição, temporizador, fotos sequenciais e panorama.

Em vídeos a câmera traseira do Moto G também se sai bem – se estiver na velocidade normal. A gravação é feita em Full HD e a qualidade é bastante semelhante a das fotos. Mas na câmera lenta o resultado é bastante ruim, com lags bem visíveis e, nesse modo, a gravação é em HD.

Agora falando da câmera frontal, que conta com 5 Megapixels, a Motorola igualou mais a qualidade entre as duas câmeras do aparelho. Quando bem iluminado, a foto é muito boa, mas caso não haja luz o resultado cai bastante. A câmera lenta da frontal é ainda pior que a da traseira, então nem pense em tentar algo nesse modo.

A bateria do Moto G agora conta com 2470 mAh (80 mAh a mais que a 2ª geração). Para atestar a eficiência da bateria fizemos nosso teste padrão: 5 minutos de gravação de vídeo, 10 fotos, mais 15 minutos de visualização de fotos e vídeos, 20 minutos de jogos, mais 30 de GPS, outros 30 de ligação e mais 3 horas de navegação na internet.

Começando o teste às 9 da manhã e finalizando às 6 da tarde, o Moto G ainda estava com 40%. Um resultado bem acima da média para um smartphone intermediário. Segundo o teste, o usuário poderá usar o telefone o dia todo que não precisará dar uma recarga no meio do dia.

Conclusão

O Moto G é aquele celular que assim que é lançado já tem procura nas lojas. Por isso a Motorola resolveu melhorar aquilo que já era bom na 2 ª geração.
O suporte 4G em todas as versões e nos dois slots de chips é um atrativo bastante interessante, principalmente tratando-se de um celular intermediário. Agora o celular pode ficar até 30 minutos submerso em até 1 metro de profundidade, mas não é possível mexer nele. O processador também melhorou, agora de quad-core de 1.4 Ghz permite fluidez e ótima experiência em qualquer tarefa. Contudo, é bom fechar todos os aplicativos antes de começar a jogatina. A bateria de fato dura o dia todo, como disse a Motorola na apresentação do Moto G. E é claro, o Moto Maker finalmente chegou ao Brasil e agora você pode confeccionar o seu próprio aparelho.
O ponto mais negativo é a câmera lenta que decepciona e apresenta lags. 

Matérias Relacionadas
Moto C Plus, Moto E4 e Moto E4 Plus chegam ao Brasil
Android ou iPhone: vale a pena trocar de celular?
Motorola lança Moto Z2 Play no Brasil
Conheça a Lenovo e seus melhores celulares
10/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
8/10 Recomendo este produto
Verificado
10/10 Recomendo este produto
Avaliação Geral89%Recomendam a compra
8/10Baseado em 146 avaliações
Aspectos Positivos
  • Design
  • Funções e Características
  • Câmera
  • Facilidade de Uso
  • Durabilidade
  • Display
  • Custo-Benefício
  • Duração da Bateria
Enviar sua Avaliação