BuscapéNosso sistema detectou que você está usando um navegador desatualizado

Para uma melhor experiência usando o Buscapé, aconselhamos que atualize o seu navegador para a versão mais recente.
Agradecemos desde já sua compreensão.

Navegue logado e tenha proteção em suas compras. O Buscapé te protege em até R$ 5 mil.

Smartphone Lenovo Vibe K5
Ícone de Favorito

88% Recomendam a compra
Avaliação do Especialista
Prós
  • Acabamento metálico

     

  • Tela com alta definição

Ler a avaliação completa
  • Ordenar por:
  • Ver histórico:
Achou caro?
Crie um alerta de preço que a gente avisa você!
Maior preço registrado:R$ 1.799,90
Menor preço registrado:R$ 559,00
Me avise quando o preço chegar em:
0%
0%
100%
Arraste a barra para controlar o valor do pedido
Informações Básicas
TipoSmartphone
MarcaLenovo
ModeloVibe K5
ChipsDual Chip
Câmera
Câmera Traseira5.0 Megapixels
Funções da CâmeraFilma em Full HD
Câmera Frontal13.0 Megapixels Frontal
Tela
Tamanho da Tela5.0 polegadas
Tipo de TelaLCD
Resolução1920 x 1080 Pixels
DefiniçãoFull HD
Hardware
ProcessadorQualcomm Snapdragon 616
NúcleosOcta-Core (8 Núcleos)
Memória Interna16 GB
Memória RAM2 GB RAM
EntradasFone de Ouvido
Software
Sistema OperacionalAndroid
VersãoLollipop
Características e Conectividade
Internet4G
RecursosMP3 Player
Bateria
Bateria2750 mAh
Dimensões
Largura71 mm
Altura142 mm
Profundidade8 mm
Peso150 g
Por Colaborador em 27/04/2016
Lenovo Vibe K5: diferenciado na tela e no acabamento

O segundo lançamento da fabricante no país chegou para ser um aparelho competitivo no mercado de smartphones abaixo dos mil reais

Prós
  • Acabamento metálico

     

  • Tela com alta definição

Contras
  • Bateria de baixa duração

     

  • Câmera apenas comum

Depois da chegada do Vibe A7010, o primeiro smartphone da Lenovo no Brasil, em dezembro, a fabricante lançou seu segundo aparelho, o Vibe K5, um smartphone um pouco mais básico do que seu irmão, mas que conta com alguns aspectos diferenciados para sua faixa no mercado. Confira todas as informações sobre o modelo nos parágrafos a seguir.

Depois da chegada do Vibe A7010, o primeiro smartphone da Lenovo no Brasil, em dezembro, a fabricante lançou seu segundo aparelho, o Vibe K5, um smartphone um pouco mais básico do que seu irmão, mas que conta com alguns aspectos diferenciados para sua faixa no mercado. Confira todas as informações sobre o modelo nos parágrafos a seguir.

Acabamento e tela

Antes de tudo, é bom destacar que o Lenovo Vibe K5 veio com características bem competitivas ao mercado. Hoje, é muito difícil encontrar um aparelho nessa faixa de preço com acabamento mais bem trabalhado. Por fora, o smartphone conta com capa removível feita de um plástico que lembra muito metal, principalmente pela resistência e textura, e está disponível no mercado nas cores prata, grafite e dourada. E isso, no final das contas, faz muita diferença para a durabilidade do aparelho.

Suas medidas também são bem agradáveis. O K5 conta com 14,2 cm de altura por 7,1 cm de largura por apenas 0,82 cm de espessura. Com 150 gramas, o aparelho não incomoda e se encaixa muito bem ao corpo. Como ele não é tão grande, também é bem fácil utilizá-lo com apenas uma das mãos.

A posição dos botões também são bem positivas. Tanto os canhotos quanto os destros não estranharão a localização do Power e do ajuste de volume, que se encontram na lateral direita do smartphone. Na parte de trás, há dois alto-falantes estéreos compatíveis com tecnologia Dolby Atmos que conferem ótima qualidade ao áudio. Mas como eles ficam localizados na traseira do modelo, o som pode ficar um pouco abafado se apoiado em uma superfície.

A tela de 5 polegadas é outro ponto bem positivo no modelo. Com resolução Full HD (1920 x 1080 pixels) - uma característica rara em modelos dessa faixa de preço -, ela apresenta qualidade e é indicada para quem não gosta de smartphones muito grandes. A tecnologia utilizada é o LCD TFT, o que acaba barateando o custo final do aparelho e, consequentemente, traz alguma redução na qualidade da imagem em relação às telas de IPS. Mas, mesmo assim, a experiência não foi negativa.

 

Para os testes, rodamos praticamente tudo - redes sociais, jogos, filmes e desenhos. O espaço para navegação na Internet ou no Facebook não é dos maiores (já que estamos falando de um display de 5 polegadas), mas está longe de ser desconfortável. Já com jogos, filmes e desenhos, a experiência foi bem parecida. Em cenas mais claras e com cores vivas, o K5 consegue reproduzir tudo com qualidade, o que não acontece com conteúdos mais escuros, como filmes de ação. Nesses casos, é necessário aumentar o brilho da tela ao máximo e, mesmo assim, não é possível enxergar tudo com conforto. No fim das contas, a tela apresenta suas limitações, como qualquer outro aparelho dessa faixa de preço, mas ainda entrega um display ótimo para sua categoria.

Antes de tudo, é bom destacar que o Lenovo Vibe K5 veio com características bem competitivas ao mercado. Hoje, é muito difícil encontrar um aparelho nessa faixa de preço com acabamento mais bem trabalhado. Por fora, o smartphone conta com capa removível feita de um plástico que lembra muito metal, principalmente pela resistência e textura, e está disponível no mercado nas cores prata, grafite e dourada. E isso, no final das contas, faz muita diferença para a durabilidade do aparelho.

Suas medidas também são bem agradáveis. O K5 conta com 14,2 cm de altura por 7,1 cm de largura por apenas 0,82 cm de espessura. Com 150 gramas, o aparelho não incomoda e se encaixa muito bem ao corpo. Como ele não é tão grande, também é bem fácil utilizá-lo com apenas uma das mãos.

A posição dos botões também são bem positivas. Tanto os canhotos quanto os destros não estranharão a localização do Power e do ajuste de volume, que se encontram na lateral direita do smartphone. Na parte de trás, há dois alto-falantes estéreos compatíveis com tecnologia Dolby Atmos que conferem ótima qualidade ao áudio. Mas como eles ficam localizados na traseira do modelo, o som pode ficar um pouco abafado se apoiado em uma superfície.

A tela de 5 polegadas é outro ponto bem positivo no modelo. Com resolução Full HD (1920 x 1080 pixels) - uma característica rara em modelos dessa faixa de preço -, ela apresenta qualidade e é indicada para quem não gosta de smartphones muito grandes. A tecnologia utilizada é o LCD TFT, o que acaba barateando o custo final do aparelho e, consequentemente, traz alguma redução na qualidade da imagem em relação às telas de IPS. Mas, mesmo assim, a experiência não foi negativa.

 

Para os testes, rodamos praticamente tudo - redes sociais, jogos, filmes e desenhos. O espaço para navegação na Internet ou no Facebook não é dos maiores (já que estamos falando de um display de 5 polegadas), mas está longe de ser desconfortável. Já com jogos, filmes e desenhos, a experiência foi bem parecida. Em cenas mais claras e com cores vivas, o K5 consegue reproduzir tudo com qualidade, o que não acontece com conteúdos mais escuros, como filmes de ação. Nesses casos, é necessário aumentar o brilho da tela ao máximo e, mesmo assim, não é possível enxergar tudo com conforto. No fim das contas, a tela apresenta suas limitações, como qualquer outro aparelho dessa faixa de preço, mas ainda entrega um display ótimo para sua categoria.

Desempenho e conectividade

Quanto à memória interna, o aparelho possui 16 GB de armazenamento nativo, com opção de expansão para cartões microSD de até 32 GB. Para um smartphone básico, é um número bem razoável e dá para instalar uma série de aplicativos sem problemas. A versão do Android é a 5.1.1, conhecida como Lollipop, mas tudo indica que o aparelho será atualizado para o Marshmallow, como é conhecida a nova versão do sistema operacional do Google.

O Vibe K5 conta com um Snapdragon 616, da Qualcomm, que possui oito núcleos, além de memória RAM de 2 GB. O desempenho é muito parecido com aparelhos abaixo dos 2 mil reais, mas é ainda inferior a smartphones considerados competitivos para a categoria, como o Quantum Go. Os chips aceitos no aparelho são do padrão micro-SIM e há dois slots, mas que não dão suporte ao 4G simultaneamente.

Para os testes, rodamos de tudo, desde redes sociais até jogos mais pesados. O que podemos dizer é que o Vibe K5 não é um smartphone indicado para uso mais pesado. Para quem quer navegar por redes sociais e rodar alguns games mais leves, como Candy Crush, ele até cumpre bem seu papel. Agora, se você quer rodar jogos como Asphalt 8, ele até vai rodar bem, mas o desempenho em alguns momentos não vai tão bom quanto em smartphones mais de ponta.

Como de costume, também executamos alguns benchmarks, que são softwares direcionados a uma análise do modelo e cujos resultados ajudam a fazer uma comparação com outros smartphones. Primeiramente, rodamos o Antutu, que faz uma espécie de avaliação geral do modelo - tanto na parte gráfica quanto na operacional. Nesse caso, o resultado foi de 32751 pontos. Já no Quadrant, que faz uma análise parecida, o K5 atingiu 20445 pontos.

Já no 3D Mark, o smartphone da Lenovo é submetido a uma bateira de testes um pouco distinta. Nesse caso, o foco é ver como a parte gráfica do aparelho se sai, ou seja, se a taxa de frames não cai quando exigido ou como o aparelho se comporta rodando desde gráficos mais simples quanto os mais complexos. Como isso varia conforme a exigência, o benchmark oferece três cenários de uso, chamados (por ordem de intensidade) de Ice Storm, Ice Storm Unlimited e Ice Storm Extreme. Os resultados foram de 7825, 7040 e 5050 pontos.

 

Quanto à navegação, o Vibe K5 tem um ponto interessante, já que ele permite dois tipos de interface. A primeira, mais tradicional e parecida com a de outros aparelhos, deixa disponível com um menu com todos os aplicativos, o que não existe na segunda opção. Nesse caso, todos os aplicativos já ficam à mostra na tela inicial do modelo. Os dois funcionam muito bem, é tudo uma questão de preferência.

Quanto à memória interna, o aparelho possui 16 GB de armazenamento nativo, com opção de expansão para cartões microSD de até 32 GB. Para um smartphone básico, é um número bem razoável e dá para instalar uma série de aplicativos sem problemas. A versão do Android é a 5.1.1, conhecida como Lollipop, mas tudo indica que o aparelho será atualizado para o Marshmallow, como é conhecida a nova versão do sistema operacional do Google.

O Vibe K5 conta com um Snapdragon 616, da Qualcomm, que possui oito núcleos, além de memória RAM de 2 GB. O desempenho é muito parecido com aparelhos abaixo dos 2 mil reais, mas é ainda inferior a smartphones considerados competitivos para a categoria, como o Quantum Go. Os chips aceitos no aparelho são do padrão micro-SIM e há dois slots, mas que não dão suporte ao 4G simultaneamente.

Para os testes, rodamos de tudo, desde redes sociais até jogos mais pesados. O que podemos dizer é que o Vibe K5 não é um smartphone indicado para uso mais pesado. Para quem quer navegar por redes sociais e rodar alguns games mais leves, como Candy Crush, ele até cumpre bem seu papel. Agora, se você quer rodar jogos como Asphalt 8, ele até vai rodar bem, mas o desempenho em alguns momentos não vai tão bom quanto em smartphones mais de ponta.

Como de costume, também executamos alguns benchmarks, que são softwares direcionados a uma análise do modelo e cujos resultados ajudam a fazer uma comparação com outros smartphones. Primeiramente, rodamos o Antutu, que faz uma espécie de avaliação geral do modelo - tanto na parte gráfica quanto na operacional. Nesse caso, o resultado foi de 32751 pontos. Já no Quadrant, que faz uma análise parecida, o K5 atingiu 20445 pontos.

Já no 3D Mark, o smartphone da Lenovo é submetido a uma bateira de testes um pouco distinta. Nesse caso, o foco é ver como a parte gráfica do aparelho se sai, ou seja, se a taxa de frames não cai quando exigido ou como o aparelho se comporta rodando desde gráficos mais simples quanto os mais complexos. Como isso varia conforme a exigência, o benchmark oferece três cenários de uso, chamados (por ordem de intensidade) de Ice Storm, Ice Storm Unlimited e Ice Storm Extreme. Os resultados foram de 7825, 7040 e 5050 pontos.

 

Quanto à navegação, o Vibe K5 tem um ponto interessante, já que ele permite dois tipos de interface. A primeira, mais tradicional e parecida com a de outros aparelhos, deixa disponível com um menu com todos os aplicativos, o que não existe na segunda opção. Nesse caso, todos os aplicativos já ficam à mostra na tela inicial do modelo. Os dois funcionam muito bem, é tudo uma questão de preferência.

Bateria e câmera

As câmeras disponíveis no aparelho são apenas básicas. Elas definitivamente não vão trazer fotos incríveis, com nível de detalhes impressionantes e cores extremamente vivas. Mas isso já é esperado em um smartphone que custa menos de mil reais. Por isso, o que vemos é um conjunto que vai quebrar o galho em algumas situações, mas que não ultrapassa esse limite, já que, no geral, o branco fica estourado com facilidade e as cores frequentemente saem com um tom pastel, sem muito contraste.

Mas vamos às questões técnicas. A câmera principal possui 13 MP e filma em full HD, assim como a secundária, que conta com 5 MP. Em relação aos recursos, o aparelho não apresenta muitas opções e traz o básico. O “V-Selfie”, que já estava presente no A7010, também está disponível no K5. Com isso, basta fazer um “V” com as mãos para acionar o disparador da câmera frontal. Além disso, o aparelho também conta com HDR e foto panorâmica.

 

A bateria, por outro lado, é a grande decepção no modelo. Com 2750 mAh, ela traz um desempenho insuficiente. Como esse é um smartphone mais básico, esperamos que a carga pelo menos possa dar suporte às tarefas mais comuns, como acessar as redes sociais e outros aplicativos. Mas, na prática, ela não deve durar o dia inteiro. Como é padrão em nossos testes, fizemos uma série de atividades ao longo do dia. Na primeira fase de avaliação, tiramos 10 fotos e fizemos um pequeno vídeo de 5 minutos. Após isso, visualizamos os resultados por 15 minutos. Em seguida, navegamos por redes sociais por cerca de 3 horas, fizemos ligações por mais 30 minutos, rodamos por GPS por meia hora e jogamos por mais 20 minutos. Para finalizar, exibimos vídeos no YouTube por 10 minutos e ouvimos algumas músicas por 1 hora. Ao fim do período restavam 4% de bateria, uma marca bem questionável.

As câmeras disponíveis no aparelho são apenas básicas. Elas definitivamente não vão trazer fotos incríveis, com nível de detalhes impressionantes e cores extremamente vivas. Mas isso já é esperado em um smartphone que custa menos de mil reais. Por isso, o que vemos é um conjunto que vai quebrar o galho em algumas situações, mas que não ultrapassa esse limite, já que, no geral, o branco fica estourado com facilidade e as cores frequentemente saem com um tom pastel, sem muito contraste.

Mas vamos às questões técnicas. A câmera principal possui 13 MP e filma em full HD, assim como a secundária, que conta com 5 MP. Em relação aos recursos, o aparelho não apresenta muitas opções e traz o básico. O “V-Selfie”, que já estava presente no A7010, também está disponível no K5. Com isso, basta fazer um “V” com as mãos para acionar o disparador da câmera frontal. Além disso, o aparelho também conta com HDR e foto panorâmica.

 

A bateria, por outro lado, é a grande decepção no modelo. Com 2750 mAh, ela traz um desempenho insuficiente. Como esse é um smartphone mais básico, esperamos que a carga pelo menos possa dar suporte às tarefas mais comuns, como acessar as redes sociais e outros aplicativos. Mas, na prática, ela não deve durar o dia inteiro. Como é padrão em nossos testes, fizemos uma série de atividades ao longo do dia. Na primeira fase de avaliação, tiramos 10 fotos e fizemos um pequeno vídeo de 5 minutos. Após isso, visualizamos os resultados por 15 minutos. Em seguida, navegamos por redes sociais por cerca de 3 horas, fizemos ligações por mais 30 minutos, rodamos por GPS por meia hora e jogamos por mais 20 minutos. Para finalizar, exibimos vídeos no YouTube por 10 minutos e ouvimos algumas músicas por 1 hora. Ao fim do período restavam 4% de bateria, uma marca bem questionável.

Conclusão

O Lenovo Vibe K5 não veio para revolucionar o mercado de smartphones de entrada, mas, mesmo assim, chega com um conjunto competitivo e, de certa forma, surpreendente. Com seu segundo lançamento, a Lenovo acerta mais uma vez e traz um aparelho honesto ao público. O acabamento é realmente diferenciado para sua faixa de preço e a tela, com resolução Full HD, traz ótima definição e qualidade. O ponto negativo fica por conta da duração de bateria, que pode não chegar até o fim do dia. Apesar disso, é um smartphone indicado para quem quer um aparelho mais barato para entrar nas redes sociais e também rodar alguns jogos.

Matérias Relacionadas
Moto C Plus, Moto E4 e Moto E4 Plus chegam ao Brasil
Android ou iPhone: vale a pena trocar de celular?
Motorola lança Moto Z2 Play no Brasil
Conheça a Lenovo e seus melhores celulares
10/10 Recomendo este produto
10/10 Recomendo este produto
8/10 Recomendo este produto
Verificado
10/10 Recomendo este produto
Verificado
8/10 Recomendo este produto
Avaliação Geral88%Recomendam a compra
8/10Baseado em 383 avaliações
Aspectos Positivos
  • Custo-Benefício
  • Design
  • Facilidade de Uso
  • Display
  • Funções e Características
  • Durabilidade
  • Câmera
  • Duração da Bateria
Pontos de Atenção
  • Som
Aspectos Negativos
  • Desempenho
Enviar sua Avaliação